Mais de 70 mil pessoas passaram pela cidade ajudando a dinamizar economia da região

Feira Medieval divertiu animou e veraneantes em Caminha

Feira Medieval divertiu animou e veraneantes em Caminha

Pub

 

 

Caminha Medieval recebeu este ano a visita de mais de 70 mil visitantes, entre residentes no Concelho e turistas veraneantes que assim dinamizaram também a economia da região, tendo mesmo no dia de sábado sido batidos todos os recordes de afluência de público. Numa celebração extraordinária do Ano Santo Jacobeu (que se prolongou para 2022 em virtude da pandemia) e num exercício de promoção e valorização do Caminho Português da Costa, a Câmara Municipal de Caminha dedicou a programação da edição deste ano à celebração das peregrinações que ao longo dos séculos passaram em direção ao sepulcro de S. Tiago apóstolo.

Na programação do evento foram introduzidas algumas novidades, como a pharmacopeia – o hospital do peregrino, a experiência mens sana em corpore sano (uma espécie de SPA dos tempos medievais), o espaço de acolhimento aos peregrinos e as peregrinações diárias que envolveram centenas de voluntários das freguesias e associações do concelho.
Ao mesmo tempo, procedeu-se também a uma nova arrumação do espaço proporcionado pelas recentes obras de requalificação do Centro Histórico e diversas atividades relacionadas com música, teatro, literatura, cetraria, ofícios medievais e oficinas de arte, permitiram uma viagem pelo passado que durante uma semana encheu as ruas da bonita vila de Caminha.

Na Caminha Medieval estiveram presentes 23 grupos de animação vindos de todo o país e de Espanha e foram contabilizados 120 participantes, sendo 23 artesãos, 50 mercadores alimentares, 33 mercadores não alimentares, 1 mercador exótico e 14 estabelecimentos locais.

Para Miguel Alves, presidente da Câmara Municipal de Caminha, “esta foi das edições mais desafiantes de sempre. Por um lado, tivemos o interregno de dois anos por causa da pandemia que quebrou rotinas de trabalho e, sobretudo, levou ao encerramento de muitas empresas que trabalham na animação das diversas feiras medievais do país. Foi um ano inusual de estreias e de novas parcerias. Por outro lado, por força da conjugação de datas, tivemos só dois dias de montagem do espaço da feira após a realização do Artbeerfest, que também teve que ser desmontado ao mesmo tempo. Em cima destas dificuldades, a enchente que tivemos, todos os dias, mas, sobretudo, no sábado, criou novos problemas que temos que saber resolver”.

Para o autarca de Caminha, a satisfação do dever cumprido não esquece as responsabilidades da organização: “Agradeço muito a todos os participantes, aos voluntários e a toda a equipa municipal que nunca vira a cara ao tralho. É verdade que Caminha teve gente como nunca, que o comércio faturou em larga escala, e também é verdade que as associações do nosso concelho aproveitaram bem o momento para fazer receita importante. Mas o número de pessoas que tivemos nesta Caminha Medieval exige um esforço redobrado para que no próximo ano possamos encontrar mais e melhores soluções para que as pessoas desfrutem deste que é, à data, o maior evento do concelho de Caminha e um dos maiores de toda a região”, concluiu o autarca.

Imagens: MCMN

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - jornal diário digital generalista com sede em vila nova de famalicão - música - concertos - espetáculo - cultura -livro - literatura - política - trabalho - rendimento - segurança - saúde - cinema - proteção civil - segurança - ribeirão - riba d'ave - dar coisas aos nomes - diogo martins

As feiras medievais e os problemas da recriação histórica em Portugal: uma perspectiva crítica

A terra dos Rus’, 1ª pt.

Pub

Categorias: Caminha, Economia, Turismo

Acerca do Autor

Comente este artigo

Only registered users can comment.