Trabalho de fotografia do artista português destaca-se na história do Surrealismo, tendo sido premiado em 2001 com o Prémio Nacional de Fotografia

Centro Português de Fotografia expõe Fernando Lemos

Centro Português de Fotografia expõe Fernando Lemos

Pub

 

 

A Fundação Cupertino de Miranda (FCM) e o Centro Português de Fotografia (CPF) vão apresentar 123 fotografias de Fernando Lemos pertencentes à coleção da Fundação Cupertino de Miranda, no edifício do CPF, no Porto. A exposição – intitulada Na estrada do surrealismo – Fernando Lemos – foi previamente apresentada 11 anos antes na Galeria Palácio Galveias (Lisboa), após a primeira exposição no Museu da Fundação Cupertino de Miranda, em novembro de 2009.

A exposição estará patente até 30 de outubro de 2022.

Fernando Lemos: fotógrafo em Portugal, desenhador no Brasil

Artista multidisciplinar, Fernando Lemos granjeou diferente reconhecimento no país em que nasceu – Portugal – e no país que adotou e para o qual decidiu exilar-se voluntariamente para o Brasil, com apenas 26 anos de idade, onde acaba por adquirir a nacionalidade.

Nascido a 3 de maio de 1926 em Lisboa, Fernando Lemos destaca-se como fotógrafo, embora o seu percurso tenha também passado pela pintura, desenho, design gráfico e industrial e, ainda, pela poesia e ensino.

Inicia o seu trabalho fotográfico em 1949, com a primeira fotografia tirada a partir da janela do quarto onde nasceu, mostrando os telhados de Lisboa.

O seu trabalho de fotografia destaca-se na história do Surrealismo, sendo premiado em 2001 com o Prémio Nacional de Fotografia.

Volvidos cerca de 70 anos da captação destes registos (datados entre 1949 e 1952) redescobertos e sucessivamente expostos apenas depois de 1977, a FCM apresenta nesta mostra, intitulada Na estrada do surrealismo – Fernando Lemos, 123 fotografias que nos transportam para a liberdade e automatismo do surrealismo, onde todas as compreensões do real se alteravam.

No Brasil, onde acabou por viver quase toda a vida, a fotografia serviu-lhe apenas de cartão de apresentação para as duas primeiras exposições que fez no ano da sua chegada (no Rio de Janeiro e em S. Paulo), pois acabari apor ser no desenho que teve o seu primeiro reconhecimento, ao ver ser-lhe atribuído o prémio do Melhor Desenhista Brasileiro, na IV Bienal de S. Paulo (1957).

Fernando Lemos faleceu a 17 de dezembro de 2019, com 93 anos, em São Paulo.

fernando lemos - fundação cupertino de miranda - fotografia - centro português de fotografia - exposição - porto - surrealismo

Imagem: Fernando Lemos / Fundação Cupertino de Miranda

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - jornal diário digital generalista com sede em vila nova de famalicão

O seu diário digital VILA NOVA Online é gratuito para os leitores e sempre será.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico donativo através de mbway, netbanking, multibanco ou paypal.

MBWay: 919983484

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91; BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

Envie-nos os seus dados. Receberá, na volta do correio, o recibo para efeitos fiscais ou outros.

Publicidade (promoções e tabelas em vigor ):

Basta enviar-nos o comprovativo da sua compra e o conteúdo a publicar.

Envie-nos os seus dados. Receberá, na volta do correio, o recibo para efeitos fiscais ou outros.

Contacte-nos para situações especiais.

Gratos pelo seu apoio e colaboração.

‘Uma biografia’ de Pessoa desvenda o homem e a obra literária

A mão do oleiro e o relevo do mundo: lendo ‘A Caverna’, de Saramago

Publicidade | VILA NOVA: deixe aqui a sua Marca

Pub

Categorias: Agenda, Cultura, Fotografia, Porto

Acerca do Autor

Comente este artigo

Only registered users can comment.