Ligações ferroviárias  devem ser concretizadas em detrimento da aposta em metro de superfície avançado pelos autarcas dos municípios de Famalicão, Braga, Barcelos e Guimarães

PCP reclama prioridade para o comboio no Quadrilátero Urbano

PCP reclama prioridade para o comboio no Quadrilátero Urbano

Pub

 

 

A Direção da Organização Regional de Braga (DORB) do Partido Comunista Português (PCP) considera que deve ser dada ‘prioridade’ a ‘ligações ferroviárias’ em detrimento da defesa da ideia lançada pelos autarcas do Quadrilátero Urbano – Famalicão, Braga, Barcelos e Guimarães – no sentido de ser construído um metro de superfície que ligue estes concelhos.

O partido entende que esta ideia ‘vem novamente dispersar a discussão com novos projectos e iludir a necessidade de investimentos há muito reconhecidos como necessários, em torno dos quais já existem estudos técnicos e decisões políticas, incluindo previsão em PDM’, pelo que deve ser dada ‘prioridade’ a ‘ligações ferroviárias’ no Quadrilátero Urbano.

Manifestando o seu descontentamento com os presidentes destes quatro municípios por terem decidido solicitar estudos técnicos junto da CCDRN e do Eixo-Atlântico e apresentar esta ideia de investimento junto do Governo central, nomeadamente ao Ministro das Infraestruturas e ao Ministro da Coesão Territorial, os eleitos da CDU vão, por isso, suscitar esclarecimentos sobre este pronunciamento dos respetivos presidentes de Câmara na Assembleia da CIM do Cávado e nos municípios de Famalicão, Braga, Barcelos e Guimarães.

Governos do país não têm realizado o investimento necessário nos concelhos de Famalicão, Braga, Barcelos e Guimarães

Segundo a DORB do PCP, Mário Passos, Ricardo Rio, Mário Constantino e Domingos Bragança, sustentam, e bem, “que os diversos governos do país, independentemente da sua composição partidária, não têm feito o investimento necessário, longe disso, nesta que é a terceira maior comunidade do país, onde residem mais de 700 mil pessoas”, mas consideram que a opção pelo metro de superfície não será a mais adequada.

Comboio, sim, metro de superfície, não!

Entende o partido ‘que esta proposta de opção pelo investimento num metro de superfície em alternativa ao comboio, os presidentes de câmara em causa apenas vieram contribuir para criar mais ruído e confusão. Aliás, a proposta da designada ligação por metro tão-pouco tem qualquer enquadramento ou aferição prévia nos órgãos autárquicos’, acrescentando que ‘ao longo dos últimos anos, em diversos momentos, por proposta da CDU e de outras forças, vários dos órgãos municipais destes concelhos deliberaram reclamar o investimento nos meios ferroviários, ora em oposição ao encerramento de linhas, ora reclamando a conclusão da ligação ferroviária entre os concelhos do Quadrilátero Urbano’. O PCP lembra também que esta proposta da CDU foi acompanhada também por outras forças políticas’ nas recentes campanhas eleitorais para as eleições autárquicas e legislativas.

DORB do PCP reclama desenvolvimento do transporte ferroviário

Num contexto em que o Governo tem ao seu dispor meios excepcionais para realizar investimento nos transportes públicos e em que afirma o desenvolvimento do transporte ferroviário como desígnio, a DORB do PCP reclama, como “prioridade, a concretização da ligação ferroviária  directa entre os concelhos de Braga e de Guimarães e, depois o fecho da malha ferroviária com uma linha de concordância para Barcelos. A reabertura de linhas ferroviárias encerradas, como a linha Fafe – Guimarães, é uma necessidade que merece igualmente ser acolhida”.

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - jornal diário digital generalista com sede em vila nova de famalicão - comunidade

Metro de superfície une Famalicão, Braga, Barcelos e Guimarães

Governo investe 10 mil milhões até 2030 em Plano Nacional Ferroviário

Imagem: DR

VILA NOVA, o seu diário digital. Conte connosco, nós contamos consigo.

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

VILA NOVA é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a VILA NOVA é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a VILA NOVA tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade, entre outros.

Para lá disso, a VILA NOVA pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta. A melhor forma de o fazermos é dispormos de independência financeira.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking, multibanco ou paypal.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

Envie-nos os seus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

Visite também os nossos anunciantes.

Gratos pela sua colaboração.

Nova ponte ciclopedonal irá surgir em Viana do Castelo

Ricardo Rio, o insuspeito aliado de Putin

Publicidade | VILA NOVA: deixe aqui a sua Marca

Pub

Acerca do Autor

Comente este artigo

Only registered users can comment.