‘Estamos todos no mesmo barco?’

Rebelião Climática de Braga exige direito ao presente e ao futuro

Rebelião Climática de Braga exige direito ao presente e ao futuro

Pub

 

 

Direito ao presente, mas também ao futuro, são os objetivos principais de um novo grupo de ativistas – Rebelião Climática – lançado a público, esta segunda-feira, 4 de abril, em Braga. Na ocasião, o novo coletivo de ativistas tornou público o seu manifesto no qual se propõe lutar pela justiça climática.

O primeiro objetivo passa, assim, por alertar para as ‘injustiças e os perigos que a crise climática representa nas nossas vidas’. ‘A nossa causa é termos presente e futuro’, reivindicam.

Intervir nas aldeias, vilas e cidades, ‘popularizando respostas transformadoras centradas na justiça climática” é o segundo objetivo dos ativistas que se propõem a desenvolver “ações de âmbito local e regional, a partir de Braga’.

O terceiro objetivo do coletivo passa por ‘juntar forças’ com ‘movimentos sociais com causas comuns, como os movimentos feminista, laboral, antirracista ou ecologista’, em iniciativas centradas na justiça climática.

No manifesto, a Rebelião Climática diz não se iludir com ‘respostas tecnológicas milagrosas que mantêm tudo como está”, nem mesmo com “apelos a mudanças de comportamento individual que servem apenas para esconder a responsabilidade das petrolíferas e dos grandes grupos económicos na crise climática’.

‘Apenas a ação coletiva, a nossa ação conjunta, pode transformar o sistema atual e construir um mundo com a vida no centro’, concluem.

rebelião climática - braga -ambiente - clima - justiça - braga - manifesto

rebelião climática - braga -ambiente - clima - justiça - braga - manifesto

Rebelião Climática quer mais investimento em transportes públicos e redes cicláveis

Alexandre Monteiro, em nome do grupo de ativistas da Rebelião Climática, exigiu, na ocasião, ‘respostas coletivas que ponham a vida à frente do lucro’, naquela que foi a primeira iniciativa do grupo, segundo assinalou Fernando Gualtieri do PressMinho.

Apelando à mobilização, o ativista defendeu ainda ser necessário ‘exigir muito mais nos sítios onde vivemos, nos sítios onde podemos fazer a diferença. E isso quer dizer que temos de mudar o que se passa aqui em Braga, o que se passa no nosso distrito e na nossa cidade’.

Apontando soluções para diminuir o tráfego automóvel, Alexandre Monteiro propôs que o município dê prioridade ao investimento em transportes públicos colectivos de qualidade e a uma rede de vias cicláveis segura que ligue toda a cidade.

O movimento Rebelião Climática adiantou ainda que irá organizar, a partir de 21 de abril, um ciclo de cinema em Braga sobre justiça climática.

ONU muito preocupada com provável aumento substancial de temperaturas até final do século

A apresentação do novo movimento cívico bracarense acontece na mesma altura em que a ONU, através do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, sugere a necessidade cortes drásticos no uso de combustíveis fósseis, o cultivo de florestas e o menor consumo de carne, como ações necessárias nesta década para conter o aquecimento global a 1,5 graus Celsius acima das temperaturas pré-industriais.

Apesar dos sucessivos alertas sobre mudanças climáticas emitidos pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) desde 1990, as emissões globais têm continuado a aumentar na última década, atingindo os valores mais altos da história  pelo que se calcula agora que, a assim continuar, o aumento de temperatura no final do século deverá atingir cerca de 3,2°C.

JYSK Portugal - Vila Nova de Famalicão - Lagoa - Atlantic Park - Decoração - Têxteis-lar - Casa - Habitação - Loja - Residência - Morada - conforto - bem-estar - JYSK - JYSK Portugal - Vila Nova de Famalicão - loja - estabelecimento comercial - atlantic park - decoração - têxteis-lar, colchões - roupa de cama - roupa de banho - mobiliário - conceito - 3.0 - hygge - bem-estar - conforto - tranquilidade - preço - desconto - reabertura - investimento - postos de trabalho

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - jornal diário digital generalista com sede em vila nova de famalicão

Imagens: RB

VILA NOVA, o seu diário digital. Conte connosco, nós contamos consigo.

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

VILA NOVA é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a VILA NOVA é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a VILA NOVA tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade, entre outros.

Para lá disso, a VILA NOVA pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta. A melhor forma de o fazermos é dispormos de independência financeira.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking, multibanco ou paypal.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

Envie-nos os seus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

Visite também os nossos anunciantes.

Gratos pela sua colaboração.

Pub

Acerca do Autor

Comente este artigo

Only registered users can comment.