Empresas do setor de vestuário, suportadas num elevado crescimento da produção de vestuário em malha, assinalaram crescimento acima nas vendas de vestuário ao exterior superior a 20%

Exportações de vestuário em 2021 muito próximos de níveis pré-pandemia

Exportações de vestuário em 2021 muito próximos de níveis pré-pandemia

Pub

 

 

No conjunto do período de janeiro a novembro de 2021, as exportações de vestuário – mais em malha, menos em tecido – recuperaram em relação ao ano anterior, mas estão ainda a 28 milhões de euros abaixo do valor registado em 2019. Os números preliminares do INE – Instituto Nacional de Estatística para o conjunto dos onze meses de 2021 revelam um crescimento acima dos 20% nas vendas de vestuário ao exterior em comparação com o mesmo período de 2020, destaca a ANIVEC – Associação Nacional das Indústrias de Vestuário e Confecção, ficando estas cifradas nos 2,87 mil milhões de euros. Esta tendência bem visível nos estabelecimentos comerciais do setor, de há tempos a esta parte, continua a ser dinamizada pelo vestuário de malha. As exportações de vestuário de tecido ainda se encontra muito aquém dos valores de 2019.

Esta tendência acompanha o crescimento geral da economia, que também revela valores mais de 5% acima do nível pré-pandemia. Face ao período de embate da pandemia e das restrições – janeiro a novembro de 2020 -, o aumento nas vendas das empresas portuguesas ao estrangeiro disparou 17,6%, refere também o INE na sua mais recente nota de conjuntura.

“No conjunto das exportações de vestuário temos assistido a desempenhos muito interessantes em mercados de referência, como o francês, o germânico, o italiano, o holandês e o norte-americano. Mas continuamos a salientar que esta evolução está fundamentalmente suportada no vestuário de malha”, destaca César Araújo, presidente da ANIVEC.

Espanha, França e Itália são os principais destinos das exportações têxteis portuguesas

Entre os principais mercados de destino das exportações de vestuário, a ANIVEC mostra-se sobretudo satisfeita com os resultados das vendas a Espanha que, apesar de permanecerem 20,6% abaixo do valor de 2019, já recuperou 15,5% das exportações em relação a 2020. Também de salientar o desempenho do mercado francês, com crescimentos de 15,2% em relação a 2019 e de 23,0% em comparação com 2020, bem como do mercado italiano, com crescimentos de 15,5% e de 28,8%, respetivamente.

Vestuário em malha evidencia forte dinâmica comercial

No período em destaque, as exportações de produtos de vestuário de malha evidenciaram um desempenho muito mais dinâmico do que os produtos de vestuário de tecido, acumulando um crescimento de 26,3% em relação a 2020 e de 8,3% quando comparadas com 2019. No caso do vestuário de tecido, assistimos ao reforço do crescimento em relação a 2020 (aumento de 5,7%), mas as exportações estão a evidenciar sérias dificuldades para recuperar o valor verificado em 2019 (descida de 20,9%).

“Acompanhamos, com grande preocupação, a evolução do vestuário de tecido, onde, por exemplo, o mercado espanhol, com um peso acima de 37% das exportações, permanece 34,5% abaixo do valor de 2019”, conclui o responsável da ANIVEC.

Fundo Ambiental executa quase 1000 milhões de euros em 2021

Clique aqui. Visite a página de Início da VILA NOVA Online e fique a saber tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - jornal diário digital generalista de ãmbito regional

Imagem: Passos Zamith/Jufral Malhas

VILA NOVA, o seu diário digital. Conte connosco, nós contamos consigo.

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

VILA NOVA é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a VILA NOVA é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a VILA NOVA tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a VILA NOVA pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking, multibanco ou paypal.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

Obs: envie-nos os seus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

Gratos pela sua colaboração.

Sara Barros Leitão prossegue divulgação de literatura feminista

Pub

Acerca do Autor

Comente este artigo

Only registered users can comment.