D. Diogo de Sousa recebe e expõe extraordinária coleção da Antiguidade

D. Diogo de Sousa recebe e expõe extraordinária coleção da Antiguidade

Pub

 

 

‘É tempo de conhecer a Coleção Bühler-Brockhaus – Uma doação de Marion e Hans-Peter’, assim o Museu D. Diogo de Sousa, de Braga, lança um desafio ao público para que realize uma visita à instituição no sentido de conhecer a sua nova coleção de arqueologia, constituída por cerca de 300 peças com origem na área do Mundo do Mediterrânico, na sua grande maioria.

A nova Coleção, originária do berço da Antiguidade Clássica, vem complementar a Coleção já existente, em grande parte, proveniente de Bracara Augusta e do território envolvente.

Na coleção destacam-se uma escultura da cabeça do Imperador Trajano e um busto do Imperador Augusto, em mármore, mas ela faz parte um vasto leque de objetos de diversas proveniências e cronologias, na sua maioria dos mundos egípcio, grego, etrusco e romano. Entre as obras expostas encontram-se esculturas em mármore, mosaicos romanos, vasos cerâmicos gregos e etruscos, unguentários romanos em vidro, utensílios do quotidiano e adornos em bronze e metais nobres.

Para além do conjunto de peças que compõem a materialidade tangível, esta Coleção reveste-se de um cunho pessoal, refletivo no interesse partilhado por este casal pela Cultura Clássica, e de memórias e experiências de toda uma vida em comum.

Bühler-Brockhaus, um nome que vem de longe

A ‘Coleção Bühler-Brockhaus’ é composta por cerca de 300 obras da Antiguidade Clássica e foi doada, em 2018, por um casal alemão, residente em Portugal – Hans-Peter Bühler e Marion Bühler-Brockhaus.

Hans-Peter Bühler e Marion Bühler-Brockhaus conheceram-se em 1959 em Estugarda. Desde essa data dedicam-se a enriquecer culturalmente os locais onde vivem, partilhando e fomentando o usufruto do património.

O espírito de mecenato do casal é herdado das suas famílias que, desde finais do século XVIII, apoiavam a cultura de variadíssimas formas, entre as quais a doação de peças arqueológicas e publicação de vários trabalhos ligados à área.

A tradição mecenática foi continuada pelo casal Hans-Peter e Marion. São muitas as obras artísticas e peças arqueológicas doadas a Museus e outras instituições. Algumas das doações podem ser encontradas em Munique, Leipzig, Berlim, Paris, Laren ou Setúbal. E também no Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa, que o casal financiou também, com cerca de meio milhão de euros, a própria montagem deste novo espaço expositivo, e as obras de requalificação do imóvel do museu, nomeadamente no que concerne à pintura e limpeza de todo o exterior, melhoria da acessibilidade, segurança e iluminação.

Hans-Peter Bühler e Marion Bühler-Brockhaus vivem em Portugal desde 2006, tendo fixado residência em Setúbal. Ao longo dos anos têm vindo a apoiar múltiplos projetos artísticos, de conservação e de valorização patrimonial.

2015 marca o ano que o casal iniciou a sua procura por um Museu onde a sua coleção pessoal pudesse ser exposta. Depois de vários Museus visitados o Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa foi o preferido, pela amplitude da coleção, que inclui os períodos que vão desde o Paleolítico até à Idade Média – com relevo para o espólio oriundo da cidade Romana de Bracara Augusta –, e pela existência de um Laboratório de Conservação e Restauro. Em 2017 chegam as primeiras peças e, em 2018, foi assinado do Auto de Doação. A 2 de maio de 2019 é encerrada a doação, com a entrega de um retrato romano em mármore do Imperador Augusto, o fundador da cidade romana de Bracara Augusta, ali retratado ainda jovem, com a coroa cívica, num período áureo da sua governação.

A nova coleção encontra-se aberta ao público desde 22 de outubro e terá visitas guiadas ainda nos próximos dias 6 e 20 de novembro e 4 e 11 de dezembro.

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - 1ª página - finanças - europa - prr - joão leão - primeiro pagamento

Cristina García Rodero expõe no coração da cidade de Braga

Vamos a Braga comer um pudim?

Imagem: MDDS

VILA NOVA, o seu diário digital. Conte connosco, nós contamos consigo.

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

VILA NOVA é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a VILA NOVA é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a VILA NOVA tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a VILA NOVA pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking, multibanco ou paypal.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

Envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

Gratos pela sua colaboração.

‘Comércio: Tradição & Modernidade’ no Parque da Devesa

Pub

Acerca do Autor

Comente este artigo

Only registered users can comment.