Correspondência do PRR e Quadro Financeiro Plurianual 2021-2027 aos projetos próprios da euro-região favorecem desenvolvimento

Financiamento comunitário deve apoiar estratégia própria do território

Financiamento comunitário deve apoiar estratégia própria do território

Pub

 

 

Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, defendeu, na Conferência ‘Fundos Europeus: o Minho e a Galiza’, decorrida esta Segunda-feira, 18 de Outubro, que o financiamento comunitário – seja através do Plano de Recuperação e Resiliência ou do novo Quadro Financeiro Plurianual 2021-2027 – deve corresponder à qualidade dos projectos e iniciativas desenvolvidas no território.

Seguir estratégia própria de desenvolvimento

“Sabemos o caminho que queremos traçar, os objectivos que queremos atingir e uma certeza que partilhamos é a de que é justo canalizar recursos para concretizar essas mesmas ambições, pelo que esperamos que os fundos sejam suficientes e cheguem da forma mais transparente possível aos destinos”, afirmou o Autarca bracarense, adiantando que o ‘pior erro’ que a região poderia cometer seria seguir a lógica de primeiro identificar as oportunidades de financiamento e só depois pensar na sua própria estratégia de desenvolvimento.

Fortalecer a euro-região

O Edil bracarense lembrou que as instituições do Minho têm sabido assumir uma lógica de colaboração, contribuindo para um desenvolvimento mais integrado e conectado às autoridades públicas e à sociedade civil. “Essa capacidade tem sido determinante para alimentar a capacidade inovadora do território e ajudá-lo a ser o verdadeiro motor de desenvolvimento do nosso país, com a criação de novas empresas, emprego qualificado e o reforço da capacidade exportadora”, disse, elogiando a relação cada vez mais próxima com a Galiza e salientando as oportunidades que dai resultam: “Tanto a CCDR-N como o Governo Regional da Galiza têm dado um forte impulso a esse espírito de colaboração com a identificação de áreas concretas de trabalho que permitem fortalecer a euro-região”.

Muitos ‘ilustres’ entre os presentes

A Conferência, realizada no Altice Forum Braga, foi organizada pela Confederação Empresarial da Região do Minho (ConfMinho), que tem a Associação Empresarial de Braga (AEB) como uma das suas parceiras.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a Ministra da Coesão, Ana Abrunhosa, o Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, e o Ministro do Planeamento, Nelson de Souza, foram algumas das personalidades que participaram na conferência para debater os fundos europeus para o Minho e a Galiza.

ricardo rio - marcelo rebelo de sousa - nelson de souza - ana mendes godinho - mário constantino - benjamim pereira - miguel alves - antónio cunha - confminho - conferência - fundos comunitários - minho - galiza - braga 18102021

Para além das entidades já referidas, nesta conferência foram também oradores, entre outros, Alberto Núñez Feijóo, presidente do Governo Regional da Galiza; António Cunha, presidente da CCDR-N; o eurodeputado minhoto José Manuel Fernandes; Miguel Alves, presidente do Conselho Regional do Norte da CCDR-N; Luís Miguel Ribeiro, presidente da AEP – Associação Empresarial de Portugal; João Vieira Lopes, presidente da CCP – Confederação do Comércio e Serviços de Portugal; e António Saraiva, presidente da CIP – Confederação Empresarial de Portugal.

PRR e Portugal 2030 destinam mais de 12 mil milhões a empresas

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - 1ª página - finanças - europa - prr - joão leão - primeiro pagamento

governo - secam - ambiente - praia segura - prr

Mário Passsos quer manter ‘Famalicão na vanguarda do desenvolvimento’

Imagens: M BRG

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

VILA NOVA é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a VILA NOVA é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a VILA NOVA tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a VILA NOVA pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking, multibanco ou paypal.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91 — BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

Envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

Gratos pela sua colaboração.

Igreja de Santa Clara do Porto reabre ao público após obras de restauro

Dicas para planear uma casa de verão de pequena dimensão

Pub

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.