Falta de condições de segurança leva a intervenção em freguesia bracarense

Parque infantil de Palmeira retirado por insegurança

Parque infantil de Palmeira retirado por insegurança

Pub

 

 

A freguesia bracarense de Palmeira perdeu um parque infantil no Sábado passado. De acordo com o activista Carlos Manuel Dobreira, “um grupo de colaboradores da empresa Urba – Equipamento Urbano” retirou os aparelhos infantis “durante a manhã”. Enquanto testemunha ocular da intervenção, Carlos Manuel Dobreira informa que a remoção se deveu “à degradação da infraestrutura”. Num e-mail enviado à comunicação social, o activista aponta para a existência de “madeiras apodrecidas e parafuso e pregos salientes”. A alegada “falta de manutenção” agravou estes problemas. “As condições de segurança não estavam garantidas”, afirma Carlos Manuel Dobreira. De acordo com o activista, o mau estado da infraestrutura estende-se também “aos campos de basquetebol e de futebol”, bem como “aos aparelhos de fitness”.

Dobreira diz “já ter enviado uma comunicação à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica a 27 de Fevereiro”, no qual descrevia o estado do Parque Infantil. O activista afirma que “também deu a conhecer o teor do e-mail” à Câmara Municipal bracarense. Contudo, diz não ter obtido qualquer resposta. O também professor planeia enviar ainda uma denúncia à Guarda Nacional Republicana. Nesse documento futuro, Carlos Manuel Dobreira pretende denunciar “o estado do circuito fitness sem manutenção e as
infraestruturas desportivas abandonadas”. Para além disso, a denúncia incluirá “a falta de informação e sinalização” do espaço, “entre outras insuficiências e inconformidades”.

O parque infantil removido integrava o Parque de Lazer da Quinta de São José.

À semelhança de Carlos Manuel Dobreira, a Vila Nova Online também tentou contactar a Câmara Municipal de Braga. Porém, até ao momento, também não obteve resposta.

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.

Imagem: CD


VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

VILA NOVA é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a VILA NOVA é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a VILA NOVA tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a VILA NOVA pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial), mbway ou paypal.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

Obs: envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

Gratos pela sua colaboração.

*

Publicidade | VILA NOVA: deixe aqui a sua Marca

Pub

About Author

Pedro Maia Martins

Esposendense de nascimento, barcelense de criação e conimbricense por hábito. Licenciado em Jornalismo e Comunicação pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Colaborou no passado com o Jornal Universitário de Coimbra - a Cabra e com a Revista Via Latina - Ad Libitum. Foi o último editor de País e Mundo do referido jornal. Colabora neste no momento com a Vila Nova Online e a Revista Bica.

Write a Comment

Only registered users can comment.