‘Em muitos lares houve quebra de rendimento, pelo que a necessidade de poupar nos gastos domésticos passou a ser uma prioridade ainda maior’

Poupar nos gastos domésticos em tempos de pandemia

Poupar nos gastos domésticos em tempos de pandemia

Pub

 

 

Se antes da crise pandémica as famílias portuguesas já lutavam constantemente para conseguir poupar nas contas, e juntar dinheiro para o futuro, a situação para algumas delas agravou-se com o quadro que se instalou. Em muitos lares houve quebra de rendimento, pelo que a necessidade de poupar nos gastos domésticos passou a ser uma prioridade ainda maior.

Embora estimativas recentes apontem para uma recuperação da economia, na verdade o cenário de crise ainda persiste e deverá prolongar-se, em especial entre as famílias mais afetadas pela diminuição da atividade económica ou falência de algumas empresas e consequente desemprego induzido por tal situação. Caso ainda não os tenha, o ideal será, por isso, adquirir alguns hábitos e costumes de redução de gastos para poder ter um maior controlo sobre as finanças pessoais.

  • Reparar e reutilizar

Hoje em dia, quando algo se parte ou estraga em casa, pensamos logo em substituir o material ou equipamento sinistrado. Por regra, fazer uma compra para o substituir nem será assim tão caro e poupamos o tempo e o incómodo necessários para efetuar a reparação. Mas, especialmente se estiver desocupado, tempo é algo que não lhe falta. E, se existe uma solução fácil e barata ao nosso alcance devemos encará-la como uma experiência lúdica que pode até ser estimulante para as crianças que nos rodeiam, por exemplo. Isto para lá de essa atitude fazer de si um melhor amigo do Planeta.

Se não souber como proceder, e tiver internet móvel ou fixa, hoje em dia existem tutoriais disponíveis para efetuar praticamente qualquer tipo de reparação. Em vez de nos entretermos com o mesmo jogo todos os dias, podemos aceder a esses tutoriais facilmente acessíveis para aprender e proporcionar um momento de diversão ativa em família. Se a reparação correr bem, o que deverá acontecer com grande probabilidade, então conseguirá poupar algum dinheiro.

  • Não desperdiçar nas compras

A ansiedade causada por tantas horas em casa não nos deve levar a tentar ultrapassá-la com o consumo de mantimentos desnecessários, que geralmente também de saudável nada têm. Tente elaborar uma lista de compras criteriosa. Para o efeito, consulte e tire partido das promoções existentes nas superfícies comerciais. Não compre produtos desnecessários e que não lhe fazem falta: olhe pela sua saúde e pela sua carteira.

  • Evitar gastos compulsivos

Estando em casa mais tempo, passamos mais tempo no computador. Mas mesmo, agora, já em período de desconfinamento, há hábitos que se prolongam no tempo. Evite, por isso, efetuar compras de produtos não essenciais apenas por capricho. A sugestão passa aqui por parar e refletir por um momento e decidir se realmente esse produto lhe é indispensável. Precisa mesmo daquele produto que viu e gostou? Não será apenas mais um para ficar guardado no armário ou que vai tirar pouco proveito no futuro? Se não formos capazes de justificar essa utilidade para nós mesmos, é provável que estejamos a ter um comportamento compulsivo e a dispender verbas que nos podem ser necessárias para outros bens ou mais à frente no tempo.

  • Controlar consumos domésticos

Grande parte da despesa de uma casa é motivada pelo consumo de energia, telefone, televisão, internet, bem como outros gastos de natureza financeira, como os créditos de todo o tipo subscritos pelas famílias. Felizmente, de forma cada vez mais fácil conseguimos controlar e reduzir o consumo destes serviços sem ter que nos causar grande incómodo.

A título de exemplo, veja o que pode fazer com a eletricidade. Para começar, convém ter a certeza de qual a potência contratada, uma vez que esta pode fazer toda a diferença no valor final da fatura mensal.

Por outro lado, saiba que existem tarifas bi-horárias que lhe permitem consumir energia mais barata em determinados horários, como por exemplo a partir das 22 horas e/ou aos fins de semana. A sua empresa de energia, nos dias de hoje à distãncia simples de um telefonema ou email, pode indicar-lhe se esta é a melhor opção para si.

Mas os eletrodomésticos e outros dispositivos também nos oferecem a oportunidade de poupar algum dinheiro. No caso destes últimos, quer se trate de televisores, computadores ou outros dispositivos conectados à rede, deve-se desligá-los quando não se usam, assim evitando o stand-by, o que pode reduzir cerca de 10% do consumo.

Outra forma de diminuir o consumo da eletricidade passa por não usar as máquinas de lavar roupa ou louça a temperaturas excessivamente elevadas. O controlo da temperatura do frigorífico, bem como do funcionamento adequado das suas portas, é outra dica que pode fazer baixar a sua fatura da luz.

  • Dizer adeus aos vícios

Por último, embora evitar o consumo habitual de substâncias como o tabaco ou o álcool seja, antes de tudo, benéfico para a saúde, com uma simples operação de multiplicar é possível ter uma ideia do gasto a que isso leva todos os meses. Use da sua força de vontade e deixe de fumar e beber. Se não o conseguir fazer de todo, pelo menos reduza o seu consumo.

escola profissional cior - famalicão - publicidade - ligação - luz e gás - preços - famílias - consumo

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - 1ª página - ligação - luz - preços - famílias - consumo - selectra

Imagens: NK/Pixabay

VILA NOVA Online: conte connosco, nós contamos consigo.

Se chegou até aqui é porque considera válido o trabalho realizado.

Apoie a VILA NOVA. Efetue um contributo sob a forma de donativo através de netbanking, multibanco ou mbway.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91 — BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

Paypal: pedro costa@vilanovaonline.pt

Envie-nos os seus dados fiscais. Na volta do correio, receberá o respetivo recibo.

Gratos pelo seu apoio e colaboração.

*

Publicidade | VILA NOVA: deixe aqui a sua Marca

Pub

Categorias: Consumo, Economia

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.