Raquel Varela

Regime | Portugal bonapartista

Regime | Portugal bonapartista

Pub

 

 

Era há um ano 15 dias de confinamento para “achatar a curva” e preparar o SNS. Temos menos de 2.000 internados e anuncia-se um confinamento por mais 2 meses. É evidente que o que está em causa não é a pandemia nem o SNS, é o desenho do regime político. A democracia foi suspensa e nós colocados em ameaça permanente de, consoante nos portamos “bem ou mal”, ficar em prisão domiciliária.

Tudo, diz Costa, não é escolha dele e de Marcelo, “mas dos cientistas”. A questão é porque Costa não escolheu cientistas como Jorge Torgal, que são contra o confinamento, nem leu o grupo mais renomado de epidemologia do mundo, da Universidade de Stanford, nos EUA, e escolheu os cientistas que nos colocam na mão de um Rt que quanto mais baixo for o contágio mais ele se mantém. Sim, o que temos é o desenhar paulatino de um novo regime político em Portugal – não é democracia liberal, é um novo tipo de bonapartismo. Historicamente sabíamos que ia acontecer em breve – a crise de 2008 e o seu desenlace na longa duração, com os conflitos e greves previsíveis com o declínio salarial, ia provocar um reforço do autoritarismo.

Não vamos sair dos alertas, do risco, da emergência, agora o Estado tem sobre nós uma espada de ameaça, contra as liberdades fundamentais. A pandemia não é uma invenção, e é grave em algumas populações, sobretudo idosos e obesos, mas a gestão dela caiu que nem uma luva na crise económica mundial que se desenhava desde 2018-2019 com a crise das dívidas públicas impagáveis.

Portugal é há 1 ano e oficialmente um regime sem liberdades democráticas, supostamente suspensas temporariamente, mas que de facto veio para ficar – o Estado dispõe arbitrariamente do mais elementar da nossa vida definindo o limiar de “risco” com os padrões que quer para se legitimar.

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.

**

*

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial) ou mbway.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

*

Obs: envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

*

Gratos pela sua colaboração.

*

Pub

Categorias: Autor, Crónica, Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.