Foto obtida em incêndio em Oliveira de Frades dá direito a nomeação para o mais importante prémio internacional de fotojornalismo

Fotografia | Nuno André Ferreira nomeado para o World Press Photo

Fotografia | Nuno André Ferreira nomeado para o World Press Photo

Pub

 

 

O fotojornalismo português está de parabéns: uma fotografia de Nuno André Ferreira mostra um violento incêndio em Oliveira de Frades que contrasta com a calma de uma criança dentro de um automóvel. Tirada em Portugal é candidata ao WORLD PRESS PHOTO na categoria ‘Spot News’.

A imagem mostra um violento incêndio que contrasta com a calma de uma criança sentada no banco traseiro de um automóvel. Nesse dia, um incêndio florestal teve início em Oliveira de Frades, perto de Aveiro, no dia 7 de setembro de 2020. O fogo espalhou-se rapidamente até Sever do Vouga e Águeda, no distrito vizinho. Pelo menos 300 bombeiros, 100 veículos terrestres e dez aviões de combate a incêndios lutaram contra o incêndio em uma paisagem dominada por árvores de eucalipto.

A disseminação descontrolada de árvores de eucalipto em muitas regiões de Portugal – que fornecem matéria-prima para uma indústria de celulose economicamente relevante, mas que são extremamente inflamáveis ​​- é um fator importante na rápida disseminação de incêndios florestais.

Portugal tem uma época de incêndios florestais que vai de junho a setembro. O clima quente, ventos quentes consistentes vindos do Atlântico e uma paisagem bem florestada fazem dele um território particularmente suscetível a incêndios. Temperaturas extremas e secas severas contribuíram para a temporada de incêndios de 2020. Um relatório de 2020, divulgado em conjunto pela Associação Portuguesa da Natureza e o World Wide Fund for Nature, afirma que Portugal é o país europeu mais afetado pelos incêndios florestais: mais de três por cento da sua floresta queima todos os anos.

Esta imagem, nomeada para o WORL PRESS PHOTO, o mais importante prémio de fotografia no plano internacional, é tristemente reveladora dessa realidade.

O grande vencedor do prémio WWP será anunciado a 15 de abril. Na mesma altura serão também revelados os vencedores das diversas categorias a concurso.

‘A’ fotografia

“Escolhi aquela fotografia, porque há ali um contraste entre a ternura de uma criança e o incêndio (…) vemos ali uma criança dentro do carro, que parece que está imune àquilo tudo, porque também ela não percebe o que se passa à volta dela”, explica, à Agência Lusa, em declarações citadas no Jornal de Notícias, Nuno André Ferreira, o fotojornalista nascido em 1979, em Leiria, mas atualmente residente em Viseu.

A imagem, que transmite uma sensação de tragédia iminente, em que tudo de pior pode – ou não – estar prestes a acontecer, foi realizada numa reportagem de um incêndio ocorrido numa aldeia de Oliveira de Frades, onde, durante a tarde, tinha morrido um bombeiro.

“Nós também temos a nossa missão, que é esta: é mostrar, é andar na rua. É quase como ter uma guerra e não ter ninguém a cobri-la, porque ficámos em casa com medo. Podemos ter medo, devemos ter, porque o medo acaba por ser um aliado para nos podermos salvaguardar, mas a nossa missão é esta. É tentar chegar às pessoas que não estão lá, é tentar transmitir alguns sentimentos, é tentar levar as emoções, é mostrar no dia a seguir às pessoas aquilo que tu viste e presenciaste”, resume.

Quem é o autor?

Licenciado em ciências da informação pelo Instituto Superior Miguel Torga de Coimbra, iniciou a sua carreira como fotógrafo na Sala de Imprensa do Município de Leiria.

Em Agosto de 2006 mudou-se para Viseu e desde então colabora com o grupo Cofina, onde colabora com as suas diversas publicações nomeadamente Correio da Manhã, Sábado, Record, Jornal de Negócios e CMtv. Ferreira também trabalhou no Jornal do Centro entre 2006 e 2012 e na Agência Lusa e na Agência Europeia Pressphoto desde 2009.

Até ao momento, o seu trabalho foi distinguido com os prémios Estação Imagem na categoria Meio Ambiente em 2010, Fotografia do Ano da Alliance of Mediterranean News Agencies (AMAN) em 2014 e Rey de España em 2019.

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.

Imagens: (0) Nuno André Ferreira/Lusa (ed 5E), (1) NAF

*

*
VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

A Vila Nova é cidadania e serviço público. Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será. No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial) ou mbway.

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL
MBWay: 919983484

*

Obs: envie-nos os seus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros. Obrigado pelo seu apoio e colaboração.

*

 

Pub

Categorias: Cultura

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.