Município consegue financiamento de quase 400 mil euros para apoiar mais de 50 entidades dos setores cultural e social em atividades destinadas a pessoas excluídas da sociedade ou em risco de o serem

Inclusão | Há ‘Cultura para Todos’ em Barcelos Cidade Educadora Inclusiva

Inclusão | Há ‘Cultura para Todos’ em Barcelos Cidade Educadora Inclusiva

Pub

 

 

A Câmara Municipal de Barcelos viu aprovada a candidatura ao financiamento do projeto “Cultura para todos numa cidade educadora inclusiva”. O projeto consiste num vasto programa de atividades culturais a desenvolver em todo o Município ao longo de 24 meses, com o intuito de promover a inclusão social. Por essa razão, o projeto destina-se, com particular ênfase, à participação ativa de pessoas com menor facilidade de acesso à cultura e em maior risco de exclusão.

No diagnóstico da realidade do concelho apresentado na candidatura é referido que, no âmbito da política cultural de um território que integra a Rede das Cidades Educadoras, “Barcelos manifesta o desígnio de promover políticas e ações que permitam implementar, com e através da cultura, os princípios inscritos na Carta das Cidades Educadoras”.

Uma vez que o Município “conta com um conjunto alargado de associações culturais” dispersas pelo território e sediadas em espaço rural, procura-se que a sua capacidade de mobilização da população transponha as barreiras da freguesia e que os projetos permitam o desenvolvimento de ações culturais de inclusão de pessoas, designadamente, as que se encontram em situação de vulnerabilidade (idosos, portadores de deficiência, vítimas de maus tratos e de preconceitos, entre outros) e, também, desempregados com desvantagens no acesso ao mercado de trabalho.

Ações a desenvolver

– A Arte da idade – promoção do acesso e participação nas atividades culturais dos mais idosos, cruzando também gerações: programa de Animação Sénior; oficina de fantoches; projeto Despertar Musical; Zoom in, integrar através do cinema; projeto Encontro de Gerações (Teatro);

– A Igualdade da Arte – promoção do acesso e participação nas atividades culturais por parte de pessoas portadoras de deficiência e de outros grupos de risco e exclusão social: oficinas de gastronomia; projeto da Fanfarra; Expressar-te, projeto de arte para pessoas com deficiência e/ou incapacidades;

– Empreendedorismo cultural – promoção da participação nas atividades culturais por parte de pessoas de grupos de risco de exclusão social: Recriarte, projeto de recriação de produtos de artesanato com identidade local; ciclo de workshops e design de olaria e cerâmica;

– Criatividade, Cidadania, Interculturalidade e Expressão Artística – inclusão social através da cultura, com foco em grupos sociais de maior exclusão ou em maior risco de exclusão social:

– Projeto Música para Todos; desenvolvimento do processo criativo da música; Cultura e Arte para Todos; Galo Unido (dança); Projeto Artístico Juvenil de Vale d’Este; Pulsarte (desenvolvimento de competências técnicas e pessoais); A arte não tem idade;

– Espaço Rural, Identidade do Território e Sustentabilidade – inclusão social de pessoas que vivem espaço rural e em situação de isolamento e em zonas de baixa natalidade: memórias da música popular portuguesa; Barcelos a Uma Voz; festival de teatro Palco de Terra; Terreiro, teatro comunitário; ciclo de colóquios e workshops; Ecomuseu do Neiva; Festa do Teatro; e

– Ação Transversal Gestão, Comunicação e Monitorização – garantir a boa execução das atividades previstas no projeto.

Mais de 50 entidades envolvidas

O Município de Barcelos coordena o projeto envolvendo cinco entidades concelhias (IPCA, APACI, APAC, Banda Musical de Oliveira e Centro de Emprego de Barcelos) e mais de 50 entidades atuantes nos setores da cultura e social.

O financiamento do projeto, através do Pacto para o Desenvolvimento Territorial (PDCT), gerido pela CIM do Cávado, é de 392.656,00€.

 

Imagem: 55 Secrets

**

*
VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

A Vila Nova é cidadania e serviço público. Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será. No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial) ou mbway.

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL
MBWay: 919983484

*

Obs: envie-nos os seus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros. Obrigado pelo seu apoio e colaboração.

*

Pub

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.