Num livro magistral e que mexe com todos cruzam-se tormentas que ardem sem se ver

‘Aparição’ de Vergílio Ferreira ensina a amar e a sentir com lágrimas cobertas de garras

‘Aparição’ de Vergílio Ferreira ensina a amar e a sentir com lágrimas cobertas de garras

Pub

 

 

Aparição de Vergílio Ferreira, dá-nos a conhecer Alberto, um homem solitário e perdido. De saúde frágil tem um destino estranho e interessante. Filho de Álvaro e de Susana, não será o filho preferido de nenhum dos progenitores. O amor, esse sentimento de vertentes várias, é padrasto e despótico.

 

Tomás é o irmão mais velho. Casado com Isaura, é o homem da terra. Engenheiro agrónomo e pai de uma ranchada de filhos, é o modelo que o pai deseja para a sua continuidade. A semente que não morre e que se fertiliza.

Evaristo é o outro irmão, o que apenas estudou até ao fim do liceu mas casou com Júlia, a filha de um homem rico. Pessoa sem nada de relevante a não ser o facto de ser um estroina, é o menino de sua mãe. Não desenvolve mas a vida ajuda-o mesmo assim.

As triangulações de Aparição

Professor de português e latim, Alberto acaba por aterrar na cidade de Évora onde os Mouras residem. A relação que se estabelece é forte e a família acolhe-o de forma simpática e amistosa. O novo professor, ou professor novo, ambienta-se com alguma dificuldade.

O Dr. Moura é pai de três filhas: Ana, casada com Alfredo e com quem partilha uma vida de mais do mesmo, sem desafios ou algo que a motive, Sofia, uma rapariga muito atraente e pouco dada ao convencional, e Cristina, uma menina que é o anjo familiar, o tão desejado equilíbrio que todos buscam.

Três irmãos e três irmãs e um enredo que mexe com todos. Vidas que se cruzam e que vão sofrer rudes golpes. Alberto envolve-se em demasia, mesmo não o querendo e a morte, a carrasca que se sabe existir, vai trazer-lhe recordações doces, a tia Dulce, e muito amargas, o seu cão.

Amar, com Vergílio Ferreira

A trilogia vivida em Aparição é tão bem elaborada que entramos nestes triângulos com uma enorme facilidade. O Alentejo pacífico é, afinal, um local onde as tormentas ardem sem se ver, tal como o amor. Um livro magistral que se relê com imenso prazer. Um Vergílio, só nosso, que ensina a amar e a sentir com lágrimas cobertas de garras.

Vinte e cinco anos passados sobre a sua partida, Vergílio Ferreira continua tão vivo como quando ainda dava aulas no Liceu Camões e os seus alunos o ouviam atentamente. Ou melhor, bebiam de uma fonte que não parava de jorrar.

wook - banner de publicidade -vila nova online - literatuta - aparição de vergílio ferreira - margarida vale

Literatura | Mia Couto vence 3ª edição do Prémio Literário Manuel de Boaventura

Literatura | ‘A Cidade das Flores’, de Augusto Abelaira, continua um romance actual e admirável 60 anos depois

Imagem: Bertrand + autor desconhecido (DR) / ed VN

**

*

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial) ou mbway.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

Obs: envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

Gratos pela sua colaboração.

*

Publicidade | VILA NOVA: deixe aqui a sua Marca

Pub

Categorias: Cultura

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.