Iniciativa lançada pela Associação Cultural e Pedagógica Ponte… nas ondas! com sede em Valença e em Vigo

Identidade | ‘Cantamos nós’ une escolas, artistas e detentores de saberes ancestrais da região raiana no Minho e em Trás-os-Montes

Identidade | ‘Cantamos nós’ une escolas, artistas e detentores de saberes ancestrais da região raiana no Minho e em Trás-os-Montes

Pub

 

 

Cantamos nós! é o nome da nova iniciativa lançada pela Associação Cultural e Pedagógica Ponte… nas ondas!, com sede em Valença a trabalhar o património imaterial comum a portugueses e galegos. Esta iniciativa é uma espécie de 2ª edição do projeto que, em 2005, se realizou, sob os auspícios da Casa da Música, no Porto, com a designação ‘Meninos Cantores’, onde participaram 17 escolas, e que logrou obter um estrondoso sucesso.

Assim, numa primeira fase, foram convidadas escolas dos concelhos da fronteira da Galiza e Portugal, nomeadamente Caminha, Vila Nova de Cerveira, Valença do Minho, Monção, Melgaço, Ponte da Barca, Montalegre, Chaves e Vinhais, do lado de Portugal, e A Gudiña, Verín, Xinzo de Limia, Bande, Crecente, Salvaterra, Tui, Tomiño, O Rosal, A Guarda, do lado de Espanha; mas o projeto está aberto a participações adicionais e novas ideias. No final, o resultado de todo o trabalho concretizar-se-á na edição de um livro-CD e um documentário protagonizado por alunos de escolas do ensino básico e secundário em ação conjunta com pessoas portadoras do rico património imaterial da região raiana que, naturalmente, participam com mostras representativas dos seus saberes ancestrais, memória coletiva de um povo.

Participação de alunos das escolas garante de atenção para património imaterial

Em Cantamos nós! a Ponte… nas ondas! propõe que cada escola prepare, com a colaboração de músicos e respetivos professores, uma canção tradicional para ser reinterpretada e gravada ao vivo. Em simultâneo, em cada concelho gravar-se-á uma expressão do património imaterial local para incluir no documentário final.

Ainda que a pandemia tenha alterado os prazos previstos, as escolas já estão a trabalhar com os arranjos dos temas musicais a serem interpretados pelos alunos que também podem participar com instrumentos. As gravações, que estão a ser realizadas nas escolas e nos concelhos por uma equipa profissional respeitando todas as medidas de segurança e os protocolos antiCovid, contam com a participação de músicos portugueses e galegos nas gravações junto com os jovens das escolas.

Caminhos de Santiago

Contando com a ajuda do Xacobeo 21 e com as escolas que estão perto de algum dos Caminhos de Santiago, vão-se recolher também testemunhos sobre o caminho enquanto espaço de diálogo e intercâmbio.



Imagens: PnO

**

*

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial) ou mbway.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

*

Obs: envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

*

Gratos pela sua colaboração.

*

Pub

Categorias: Cultura, Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.