Homem de letras redigiu em Palmeira de Faro quase toda a sua obra literária

Património | Casa-Museu do escritor Manuel de Boaventura vai ser realidade em Esposende

Património | Casa-Museu do escritor Manuel de Boaventura vai ser realidade em Esposende

Pub

 

 

Casa-Museu do escritor Manuel de Boaventura vai ser, em breve, uma realidade. O Município de Esposende, com vista a proceder a tal adaptação, está a ultimar os correspondentes pormenores e procedimentos para o efeito com a família, herdeira do seu património. A ideia tem vindo a ser trabalhado desde há alguns anos e reafirma a abrangência da política cultural do município, em áreas tão diversas como a literatura, a música, a dança, o teatro ou a escultura pública quer

Em diversos momentos, o Município de Esposende tem prestado homenagem a Manuel de Boaventura, desde logo atribuindo o seu nome à Biblioteca Municipal, e tem desenvolvido um profícuo trabalho de divulgação da sua obra literária, inclusive criando o Prémio Literário com o seu nome – cujo vencedor, em 2021 foi Mia Couto com o livro O Mapeador de Ausências  e reeditando da sua obra literária, já com quatro títulos publicados.

Inserida nesta política cultural está a relevância que o Município de Esposende atribui à doação da Biblioteca Particular e do Arquivo Pessoal do escritor, pela família de Manuel Boaventura. A Biblioteca Municipal iniciou já o levantamento do espólio da sua Casa, em Susão, Palmeira de Faro, constituído por manuscritos, correspondência, desenhos, fotografias e outros documentos avulsos, que irá ser alvo de higienização e tratamento documental pelos serviços técnicos.

Manuel Joaquim de Boaventura nasceu a 15 de agosto de 1885, na freguesia de Vila Chã, Esposende, e faleceu em Esposende a 25 de abril de 1973, vítima de um acidente de viação. Em 1906 e por casamento com D. Ana da Conceição de Azevedo, fixou residência no lugar de Susão, na freguesia de Palmeira de Faro, Esposende, onde escreveu toda a sua obra literária, composta por dezenas de títulos e uma notável colaboração jornalística nas principais revistas e jornais nacionais. Vila Chã manter-se-ia, no entanto, no principal foco da sua atenção literária.

Imagens: MEPS

**

*

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial) ou mbway.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

*

Obs: envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

*

Gratos pela sua colaboração.

*

Pub

Categorias: Cultura

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.