Antes do impacto da Covid-19 pobreza diminuiu consecutivamente ao longo de 5 anos

Rendimento | Mais de 700 mil portugueses deixaram situação de pobreza ou exclusão social desde 2015

Rendimento | Mais de 700 mil portugueses deixaram situação de pobreza ou exclusão social desde 2015

Pub

 

Mais de 700 mil pessoas a deixar a situação de pobreza ou exclusão social nos últimos 5 anos, destaca o Governo este sábado, Dia Mundial da Justiça Social.

A percentagem de portugueses que se encontrava em taxa de pobreza monetária caiu em 2019 para 16,2%, o valor mais baixo desde que existe registo, refere o Governo com base em dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Este valor traduz uma redução de um ponto percentual face a 2018 e de 2,8 pontos percentuais face a 2015.

Este é assim o quinto ano consecutivo em que esta taxa diminui, o que traduz os avanços alcançados no emprego e rendimentos nos últimos cinco anos.

O indicador da população em risco de pobreza ou exclusão social, que inclui o ano de 2020, traduz igualmente uma redução face a 2019. Esta taxa passa de 26,6% em 2015 para 19,8% em 2020, o que significa que nos últimos cinco anos houve mais de 700 mil pessoas a deixar a situação de pobreza ou exclusão social.

Estes números não refletem ainda o impacto provocado pela pandemia por Covid-19, que afetou grande parte de 2020. No ano anterior reduziram-se também as taxas de privação material severa, a taxa de risco de pobreza após transferências sociais com base nos rendimentos de 2019 e a intensidade laboral per capita muito reduzida.

Ao mesmo tempo, o indicador relativo ao limiar de pobreza subiu em 2019 para 540 euros mensais, equivalentes a um rendimento anual de 6.480 euros, o que reflete uma subida expressiva (de 7,7%) da mediana dos rendimentos líquidos por adulto equivalentes.

Impacto da pandemia de Covid-19 em Portugal

Para responder à emergência social e económica, Governo adotou, desde março de 2020, um conjunto de medidas extraordinárias que chegaram a 2,6 milhões de pessoas, o que representa um em quatro portugueses, e a 160 mil empresas.

Ao abrigo das medidas tomadas foram pagos apoios no montante de 2.725 milhões de euros, incluindo isenções e dispensas contributivas.

Rendimento | Mais pobres precisarão de mais de 10 anos para recuperar da crise financeira da Covid-19

Consumo | Nestlé lidera reputação em Portugal em 2020

Imagem: Thomas de Luze

**

*

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial), mbway ou paypal.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

*

Obs: envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

*

Gratos pela sua colaboração.

*

Turismo | Antigos postos fiscais de Viana do Castelo e da Amorosa requalificados no âmbito do Revive Natureza

Pub

Categorias: Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.