Substituição das atuais hortas deve-se a construção de novo equipamento estratégico para o concelho na área da nanotecnologia têxtil

Urbanismo | Famalicão ganha novas Hortas Urbanas

Urbanismo | Famalicão ganha novas Hortas Urbanas

Pub

 

 

Famalicão vai ter novas Hortas Urbanas. Estas irão nascer nos terrenos situados entre a Av. dos Descobrimentos e o leito do Rio Pelhe, no centro da cidade, junto ao Hospital de Dia, do Grupo Trofa Saúde, e ao campo da Feira de Famalicão, e substituir as atualmente existentes no Parque da Devesa.

As novas Hortas Urbanas irão ocupar uma área total superior a 21 mil metros quadrados (as atuais estavam numa zona de implementação com 11,700 mil metros quadrados). A área incluirá uma zona pedonal ribeirinha de utilização pública, entre a Av. Rebelo Mesquita e a Av. dos Descobrimentos.

Este prolongamento do canal verde da cidade para sul, através da valorização do Pelhe, dá sequência à intervenção que está a ser feita na Praça Mouzinho de Albuquerque onde está em curso uma obra de reabilitação urbana que prevê aí também a valorização da margem ribeirinha.

“Teremos, assim, um novo espaço verde de proximidade na cidade, com mais hortas urbanas, igualmente próximas dos cidadãos que as fazem, com um percurso pedonal ecológico novo. É um espaço central com múltiplas capacidades, que garante a todos os hortelãos atuais a continuidade da sua atividade, mas que abre a porta a novos utilizadores, pois haverá mais talhões”. O novo espaço público permitirá ainda “a fruição do espaço ribeirinho por todos os cidadãos”, explica Paulo Cunha, o presidente da Câmara Municipal de Famalicão.

O Município de Famalicão não poderia ficar insensível “à necessidade de expansão de instituições como o CITEVE e o CeNTI, que muito contribuem para a nossa dinâmica concelhia, responsáveis pelo sucesso de muitos projetos têxteis e diretamente relacionados com a criação de emprego na nossa comunidade”, lembrou Paulo Cunha em carta dirigida aos atuais hortelãos, assinalando a “inevitabilidade” da situação. A relevância da fixação no território de uma infraestrutura de vanguarda mundial na área da nanotecnologia e tecidos inteligentes, o que potenciará ainda mais força e amplitude ao trabalho desenvolvido no CITEVE, a tal obriga.

Em simultâneo  deixa-lhes a garantia de que “todos quantos têm o seu talhão terão direito assegurado a novo talhão em idênticas condições ao atual” e que “os serviços municipais prestarão toda a ajuda necessária para que se proceda à deslocação de construções e à rápida instalação no novo espaço”.

A substituição das atuais hortas urbanas deve-se construção deste equipamento estratégico para o concelho e para o país implica, assim, a inevitável transferência das hortas urbanas para uma nova localização na cidade, o que vai permitir a ampliação do corredor verde urbano para sul de Famalicão à margem do leito do Rio Pelhe.

CDU sugere que novas Hortas Urbanas se mantenham no Parque da Devesa

A Coligação Democrática Unitária (CDU) Famalicão, embora reconhecendo embora que o terreno em causa – agor adestinado ao CeNTI – era propriedade do CITEVE, e que a qualquer momento poderia ter de ser devolvido, mostrou-se “perplexa”, quer primeiro “com a inauguração das atuais Hortas Urbanas em 2013” quer agora com a deslocação e aumento da atual zona para “novo local a cerca de 2 km de distância do original”, o que “desperta a oposição da coligação”.

Daniel Sampaio, o deputado municipal da CDU demonstrou preocupação na última Assembleia Municipal com o procedimento. Para a CDU, “é inegável o reconhecimento [da relevância] desta nova infraestrutura”. No entanto, não deixa de recomendar “que a transferência respeite os interesses dos seus atuais detentores, sendo que, para tal, o novo espaço seja encontrado muito próximo do atual e que o mesmo comporte a possibilidade de alargar a atribuição de hortas a novos interessados”.

Em função do exposto, a CDU considera que “no Parque da Devesa, pela sua proximidade e dimensão, seria perfeitamente viável a fixação das hortas nas proximidades do mesmo”.

Animalia | Canil de Santo Tirso investe firme na esterilização de animais de companhia

Imagem: Município de Famalicão

**

*

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial), mbway ou paypal.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

*

Obs: envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

*

Gratos pela sua colaboração.

*

Pub

Categorias: Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.