Projeto, considerado de interesse público, transformará resíduos de outras atividades económicas emBotões Ecológicos Biodegradáveis

Negócios | Louropel avança com nova Unidade de Reciclagem

Negócios | Louropel avança com nova Unidade de Reciclagem

Pub

 

 

O projeto de expansão da Louropel, empresa famalicense sediada na freguesia do Louro, Vila Nova de Famalicão, e a que corresponderá um investimento de um milhão de euros, obteve parecer positivo do executivo para a desafetação necessária de uma parcela de terreno da Reserva Agrícola Nacional (RAN), pode agora avançar. A empresa pretende instalar nesse terreno uma das cinco novas unidades funcionais que irá construir, no caso em apreço uma estrutura autónoma de classificação e produção de materiais reciclados designada por Unidade de Reciclagem, destinada à produção de botões a partir de material reciclado.

Refira-se que os botões produzidos através de energias mais limpas e com a incorporação de produtos naturais e reciclados– os chamados Botões Ecológicos Biodegradáveis – são já uma imagem de marca da empresa famalicense. Com a construção desta nova unidade de reciclagem, a Louropel passará a rececionar resíduos de outras atividades económicas, respondendo a novos padrões de consumo ecológico e sustentável e contribuindo ainda mais para a neutralidade carbónica e para a economia circular.

Com uma produção diária de 9 a 12 milhões de botões, a Louropel exporta cerca de 85% da produção, sendo a Europa e os Estados Unidos os seus principais mercados, fornecendo grande marcas mundiais de vestuário como a Hugo Boss, Ralph Lauren, Armani, Valentino, Kenzo, Massimo Dutti, entre outras.

A Louropel emprega atualmente cerca de 250 trabalhadores e o seu investimento nos últimos anos ascende a 50 milhões de euros em projetos de ampliação e modernização.

Notícia positiva para Famalicão Cidade Têxtil

O projeto de expansão da Louropel foi classificado pelo executivo famalicense como um investimento de relevante interesse público.

A esse propósito, Paulo Cunha, o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, fala numa “empresa com história, que tem apostado muito na sustentabilidade ambiental dos seus processos produtivos e que é um dos melhores exemplos para a afirmação de Famalicão como a Cidade Têxtil de Portugal”.

Paulo Cunha acrescenta ainda que a intenção de expansão da Louropel “é uma boa notícia para Vila Nova de Famalicão” que, “nesta fase menos positiva, continua a ter empresas dispostas a apostar na melhoria das suas condições produtivas”.

Saúde | OMS alerta para ameaças de possíveis pandemias mais graves que a Covid-19

Imagens: Município de Famalicão

**

*

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial) ou mbway.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

*

Obs: envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

*

Gratos pela sua colaboração.

*

Dar Coisas aos Nomes | Falhar com verdade

Pub

Categorias: Economia

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.