Partido sugere proibição do uso mediante alteração do Regulamento Geral

Plásticos | PAN Guimarães preocupado com hortas comunitárias

Plásticos | PAN Guimarães preocupado com hortas comunitárias

Pub

 

 

A Concelhia de Guimarães do PAN – Pessoas, Animais, Natureza mostra-se preocupada com o uso desnecessário de plásticos nas hortas comunitárias vimaranenses. Afinal, sabe-se bem hoje em dia dos malefícios da infiltração destes materiais nos solos e do tempo que por lá permanecem os seus componentes, muitas vezes já sob a forma de micro e nanopartículas.

Em nota divulgada na sua página das redes sociais, o partido analisa a forma como tais materiais são utilizados na Horta Pedagógica da Veiga de Creixomil. “Podemos facilmente constatar que muitos utilizadores recorrem aos plásticos ditos leves e ultraleves, assim como a garrafas de plástico, para vedar as parcelas, construir pequenas estufas e até espantalhos” Como consequência, os pláticos “são visíveis nos campos e nas linhas de água próximas e/ou que atravessam as hortas, situação que se agrava quando há muito vento”.

Alterar o Regulamento Geral

De facto, atualmente, o Regulamento Geral da Rede de Hortas Comunitárias não proíbe a utilização e o abandono de sacos de plásticos leves e ultraleves, assim como de garrafas de água e afins.

Atenta a esta problemática de caráter ambiental, a concelhia do PAN Guimarães, tendo em conta a preservação destes espaços agrícolas e considerando ser “necessário reduzir o consumo de sacos de plástico leve e ultraleve e reduzir o seu impacto no ambiente”, propôs à Câmara Municipal de Guimarães que revisse o referido Regulamento Geral, no sentido de se proibir a utilização dos plásticos ditos leves e ultraleves, assim como de garrafas de plástico.

Desta proibição ficariam excluídos os recipientes de plástico utilizados para captação e armazenamento de água das chuvas.

Trabalho | Emergência salarial

Imagem: PAN

**

*

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial), mbway ou paypal.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

*

Obs: envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

*

Gratos pela sua colaboração.

*

Pub

Categorias: Política

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.