Carlos Dobreira: Absolutamente inqualificável

Património | Estado de degradação da Fonte do Pelicano origina queixa ao Ministério da Cultura

Património | Estado de degradação da Fonte do Pelicano origina queixa ao Ministério da Cultura

Pub

 

 

A central e histórica Fonte do Pelicano, obra da autoria do escultor mestre do barroco Marceliano de Araújo e construída entre 1745 e 1756, situada na Praça do Município, face a face com a Câmara Municipal de Braga, encontra-se em “progressivo estado de degradação”, destaca o ativista bracarense Carlos Dobreira. Face ao exposto, tomou a iniciativa de solicitar a intervenção do Ministério da Cultura no sentido de serem realizadas diligências para a “recuperação e dignificação da Fonte do Pelicano”.

O ativista tem vindo a observar com especial atenção este trabalho arquitetónicoo e a acompanhar a sua evolução do seu estado em especial desde que começou a realizar as suas frequentes sessões de plogging um pouco por toda a cidade e região Norte de Portugal.

Abandono e falta de conservação e limpeza

“Lamenta-se o estado de sujidade dos cinco corpos da fonte de rara beleza. Destaque para a pedra de armas, os dois anjos tocheiros, a esfera armilar e o pelicano, que revelam abandono, falta de conservação e de limpeza. Registe-se [ainda] o estado do tanque de contorno mistilíneo, o qual tem fissuras e é utilizado como depósito de resíduos e de lixo”, refere com pormenor.

Carlos Dobreira realça também “as taças facetadas, em que em duas delas, meninos (um deles sem cabeça) seguram um pelicano a deitar água pelo bico. Noutra taça, um terceiro menino, o qual deita água pela boca, não tem mão”.

O ativistas manifesta-se também incomodado e preocupado com o “desrespeito” e “delapidação com a instalação de uma enorme tenda” onde se realizou um concerto do cantor David Carreira, que reverteu a favor da APPACDM, no início de 2020. “Absolutamente inqualificável”.

Solidariedade | Braga ativa Plano de Contingência devido ao frio

Saúde | OMS alerta para ameaças de possíveis pandemias mais graves que a Covid-19

Imagens: CD

**

*

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial), mbway ou paypal.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

*

Obs: envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

*

Gratos pela sua colaboração.

*

Pub

Categorias: Cultura, Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.