Primeiras vacinas contra a COVID-19 entregues no Hospital de S. João do Porto

Imunização da população começa a ser distribuída em Portugal

Imunização da população começa a ser distribuída em Portugal

Pub

 

 

«Este é um momento cheio de simbolismo», disse ontem, 27 de dezembro, Marta Temido, a Ministra da Saúde, no início do processo de administração das primeiras vacinas contra a COVID-19. Depois de estar previsto, durante muito tempo, começarem a ser distribuídas apenas em janeiro,  sob pressão da opinião pública e dos governantes europeus as primeiras vacinas acabariam por chegar a Portugal no dia anterior e serem quase de imediato administradas a um primeiro grupo de profissionais selecionados no Hospital de São João, no Porto.

Ao longo do dia, as vacinas começariam também a ser administradas no Centro Hospitalar Universitário do Porto e no Centro Hospitalar Universitário de Coimbra. Hoje, dia 28, é a vez de serem vacinados os profissionais de saúde na linha da frente do combate ao Covid-19 no Hospital Curry Cabral (Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central) e no Hospital Santa Maria (Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte).

Razões de sobra para profissionais esrem os primeios vacinados

Este momento «simboliza a capacidade que tivemos de trabalhar em conjunto», afirmou a ministra, referindo-se aos profissionais do Serviço Nacional de Saúde e à «componente logística do SNS, o Serviço de Utilização Comum dos Hospitais, o Infarmed, a DGS, o Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge», que garantiram «um conjunto de operações para que a vacina chegasse aos hospitais onde hoje começa o plano de vacinação».

Dentro dos hospitais, «a capacidade de os seus conselhos de administração, dos serviços farmacêuticos, dos serviços de saúde operacional, dos profissionais que, num domingo, garantiram a mais rápida utilização da vacina».

Marta Temido lembrou que «há longos meses que os profissionais do Serviço Nacional de Saúde e os profissionais de outros setores vêm colaborando para garantir os melhores cuidados e assistência a quem deles precisa por estar infetado ou ser suspeito de ter Covid-19».

Rapidez e administração na vacinação para  solucionar pandemia

A Ministra referiu ainda «a capacidade da União Europeia de alocar meios financeiros, congregar esforços para o processo de compra conjunta e de distribuição no mesmo dia em todos os países, para que a sua administração se iniciasse no mesmo dia também».

«Evoco todos estes factos para dizer que a união nos torna mais fortes e é a única forma de ultrapassarmos as coisas difíceis que a vida nos traz», disse, acrescentando que «é muito aquilo que ainda temos por enfrentar, pelo que apelo que consigamos manter a capacidade de união, de trabalho em conjunto».

Marta Temido sublinhou que «se conseguimos chegar até aqui foi porque conseguimos caminhar juntos» e a união «será a melhor forma de sairmos desta pandemia garantindo a maior rapidez e efetividade na administração das vacinas».

Ordem dos Médicos congratula e agradece a profissionais e investigadores

O bastonário da Ordem dos Médicos foi vacinado ontem contra a COVID-19 no Hospital de S. João, onde integra a equipa de transplantação renal, considerada prioritária logo na primeira fase, dada a fragilidade dos doentes. Miguel Guimarães disse esperar “contribuir com este gesto para proteger os cidadãos, os doentes e os profissionais de saúde e passar uma mensagem de confiança na medicina e na ciência”. “Não posso deixar de agradecer a todos os médicos e investigadores, que deram o melhor de si para chegarmos às vacinas com que já contávamos para outras doenças e agora a estas novas vacinas”, afirmou.

PARTTEAM e ReFOOD unem-se para distribuir 200 refeições pelo Natal

**

*

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial), mbway ou paypal.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

*

Obs: envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

*

Gratos pela sua colaboração.

*

Pub

Categorias: Pandemia, Saúde

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.