Deputada indaga junto do Ministério da Administração Interna sobre eventuais obras de reabilitação

Património | Estado de degradação do Recolhimento das Convertidas preocupa Cristina Rodrigues

Património | Estado de degradação do Recolhimento das Convertidas preocupa Cristina Rodrigues

Pub

 

 

A deputada não inscrita Cristina Rodrigues está preocupada com a situação do Recolhimento das Convertidas, em Braga, bem no coração da cidade. Interpelou, por isso, o Ministério da Administração Interna (MAI) de forma a obter esclarecimentos, uma vez que o imóvel se encontra em se encontra em elevado estado de degradação. Questionado sobre eventuais obras de reabilitação ao espaço, o MAI apenas informou sobre o seu parcial escoramento, trabalho que será da responsabilidade de um grupo hoteleiro interessado em instalar um hotel de luxo noutro imóvel contíguo. A parlamentar pretende agora obter respostas sobre esta obra em particular e se será a única prevista para a zona.

Foi no seguimento de uma questão inicial colocada pela deputada, em outubro, no sentido de conhecer eventuais obras de requalificação para a Casa do Recolhimento de Santa Maria Madalena ou das Convertidas, que o Ministério de Eduardo Cabrita informou ter sido feita uma vistoria técnica que terá atestado a fragilidade da sua estrutura. Tanto assim que um grupo hoteleiro interessado em abrir uma unidade hoteleira de luxo no imóvel adjacente prontificou-se a realizar o escoramento dos elementos estruturais mais críticos das Convertidas, de forma a garantir uma maior segurança na sua estabilização e contenção, durante as obras de reabilitação do outro edifício.

Escoramento provisório

“Sucede que questionado sobre obras neste imóvel, o MAI apenas nos fala sobre trabalhos a serem feitos por privados com interesses distintos à renovação das Convertidas”, explica Cristina Rodrigues. “A sua debilidade é tal que esse grupo hoteleiro não hesitou em acordar o escoramento durante a empreitada do edifício adjacente mas tal não salvaguarda este património edificado a longo prazo, é apenas uma segurança momentânea”, defende. “Que impacto em concreto trarão estas obras para as “Convertidas”, principalmente após o término da empreitada?”, questiona ainda.

Em junho de 2019, a Câmara Municipal de Braga aprovou o Pedido de Informação Prévia para a referida unidade hoteleira, em reunião do Executivo. Durante a reunião, a degradação das Convertidas e a necessidade da sua salvaguarda terão sido abordadas mas sem nenhum resultado concreto.

Património | Convertidas: cimentar a defesa da ecologia

Monumento de interesse público

A Casa do Recolhimento das Convertidas foi classificada como monumento de interesse público em 2012, sendo património do Estado desde 1931, quando foi doada ao Governo Civil de Braga, estando agora sob a alçada da Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna. Na mesma altura, foi também definida  a respetiva Zona Especial de Proteção (ZEP) que “tem em consideração a sua implantação numa área da cidade perfeitamente consolidada, onde outros edifícios com interesse arquitetónico contribuem para a valorização do imóvel e a sua fixação visa salvaguardar alguns dos imóveis da frente urbana da Avenida Central, bem como toda a Rua de São Gonçalo que, por ser bastante estreita, estabelece uma relação direta com o imóvel”. 

A memória do antigo Recolhimento das Convertidas, fundado por D. Rodrigo de Moura Telles em 1722, na inventariação e conservação do seu espólio, tem vindo a ser sistematizada e até mesmo divulgada mediante diversas atividades promovidas pelo Município e pela Misericórdia de Braga, bem como pela Direção Regional de Cultura do Norte.

Publicidade | VILA NOVA: deixe aqui a sua Marca

Imagem: M BRG

**

*

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial), mbway ou paypal.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

*

Gratos pela sua colaboração.

*

Pub

Categorias: Política

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.