Até agora, plataforma de ciência-cidadã vianense registou 318 espécies endémicas na região

Natureza | BioRegisto assinala milésima observação

Natureza | BioRegisto assinala milésima observação

Pub

 

 

A BioRegisto, uma plataforma de ciência-cidadã centrada em Viana do Castelo, chegou, esta semana, à observação número 1.000. A observação da espécie capuz-de-frade (Arisarum simorrhinum) foi realizada pela observadora Sandra Nunes.

Esta plataforma, cujo principal objetivo consiste na divulgação do património biológico, contribuindo para a sua conservação através do conhecimento, foi lançada, em janeiro de 2018, pela Câmara Municipal de Viana do Castelo. Destinada a todos os públicos, a participação nesta plataforma de ciência-cidadã foi desenvolvida tendo em conta os princípios da conservação na Natureza.

BioRegisto assinala, até agora, 318 espécies endémicas em Viana do Castelo

Acedendo ao site do BioRegisto ou através da aplicação lançada em julho deste ano e disponível para Android e iOS, o utilizador submete a observação do ser vivo que, após validação ao nível da espécie, passa a estar disponível na plataforma para consulta de todos os interessados.

É apresentada informação diversa de cada espécie, como por exemplo, mapas de distribuição, fichas de caracterização e fotografias das espécies, considerando-se, por isso, um apoio importante na promoção da cultura e da literacia científica.

Esta plataforma contabiliza já 318 espécies validadas entre espécies endémicas (específicas desta região), ameaçadas, protegidas ou com distribuição muito restrita no nosso território. Com o desenvolvimento da app, em julho deste ano, foi ainda possível integrar uma área de registo das espécies com caráter invasor.

Até à presente data, das 1.000 observações submetidas, 877 observações já se encontram validadas. Os 75 utilizadores registados na plataforma já contribuíram com 1.604 fotos carregadas.

Algumas espécies são raras e encontram-se protegidas

Integram esta plataforma registos de espécies protegidas e endémicas da Península Ibérica, como a rã-ibérica (Rana iberica) e a lagartixa-de-Bocage (Podarcis bocagei) e ainda espécies com distribuição muito restrita no nosso país como a víbora-de-Seoane (Vipera seoanei) e a planta Armeria pubigera (estas últimas igualmente protegidas e endémicas da Península Ibérica).

O BioRegisto está também disponível através da plataforma europeia EU-Citizen.Science, cujo objetivo é a divulgação de projetos de ciência-cidadã a nível global.

Imagens: BioRegisto

**

*

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial), mbway ou paypal.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

*

Pub

Categorias: Ciência, LifeStyle, Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.