Ilídio Torres

Olimpismo | Dieudonné LaMothe: último na Maratona de Los Angeles – 1984 mas livre de condenação

Olimpismo | Dieudonné LaMothe: último na Maratona de Los Angeles – 1984 mas livre de condenação

Pub

 

 

A Maratona, pelo seu grau de dificuldade e exigência de esforço físico, é uma prova atlética que não está ao alcance de todos e só os mais capacitados conseguem vencer as dificuldades de um percurso tão grande e o desgastante esforço físico exigido.

O haitiano Dieudonné Lamothe, hipotético maratonista, só decorridos alguns anos teve a coragem de confessar ao mundo que, apesar de se haver iniciado nos 5.000 metros, em 1976, correu a sua primeira maratona em 1984 e lutou até ao limite das suas possibilidades, pressionado e com medo de sofrer um castigo quando regressasse ao Haiti, nesse tempo ainda a viver ainda o terror da ditadura Duvalier, alegando o receio e até o medo de poder ter a polícia secreta na peugada!

Hoje sabe-se que cabia ao Presidente Duvalier a tarefa de escolher os atletas a enviar aos Jogos Olímpicos, escolha presidida sempre pelos mais estranhos critérios e princípios pois acabava sempre por recair em atletas impreparados, alguns até do círculo de amigos pessoais, independentemente das suas capacidades atléticas.

A primeira experiência olímpica de LaMothe foi, então, em 1976, nos Jogos de Montréal – ficou em último.

Em 1984, nos Jogos de Los Angeles, voltou a correr a maratona, a tal que parecia não ter fim!

LaMothe batia recordes pela negativa da prestação.

Habitualmente, naquele país, os atletas eram informados muito tardiamente da sua convocatória a poucos dias dos Jogos Olímpicos.

LaMothe bateu o seu próprio record, em 1988, em Seoul, co30m um vigésimo lugar.

Já pesado na idade, com 38 anos, ainda se aventurou, em 1992, a marcar presença em Barcelona. A sua confissão, onde evoca o medo da autoridade haitiana, afigura-se um pouco surreal e, em certa medida, um tanto intragável.

Todavia, respeita-se.

Olimpismo | A glória de vencer e partilhar o êxito (Montréal, 1976)

Jogo | Casinos online apostam em simular ambientes físicos

**

*

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial), mbway ou paypal.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

*

Pub

Categorias: Crónica, Desporto

About Author

Ilídio Torres

Membro da Academia Olímpica de Portugal, órgão do Comité Olímpico de Portugal.

Write a Comment

Only registered users can comment.