Em tempo de pandemia, reduzir o risco de persistência viral e bacteriana em superfícies secas inanimadas é ato de reinvenção

Inovação | Hindu Technical Textiles de Famalicão produz tecido antiviral

Inovação | Hindu Technical Textiles de Famalicão produz tecido antiviral

Pub

 

 

A Hindu – Technical Textiles, de Famalicão, respondeu à crise da pandemia do coronavírus com inovação: criou um “acabamento antiviral que impede a transmissão da Covid-19, graças à mais avançada tecnologia química aplicada no acabamento de malhas e tecidos e TNT (tecido não tecido)”.

O acabamento, desenvolvido “em conjunto com vários parceiros internacionais líderes em inovação tecnológica na área têxtil”, tem como objetivo “minimizar os riscos de transmissão a partir de têxteis”. Com esta inovação, a empresa disponibilizou ao mercado um tecido que se auto-higieniza eliminando bactérias e vírus através de um acabamento “capaz de inibir até 99,9% de vírus e bactérias, incluindo o novo coronavírus”.

Em tempo de crise, há que reinventar

“As crises, por norma, levam-nos a reinventar-nos. Como dizia Albert Einstein: ‘Não podemos querer que as coisas mudem, se sempre fazemos o mesmo’”, refere Luís Cristino, o empreendor que lidera a Hindu. “Este acabamento inovador poderá ser utilizado em máscaras, luvas de proteção, batas e todo o tipo de vestuário”.

O acabamento, denominado Protect By Hindu, “apresenta ainda uma eficácia comprovada após várias lavagens”. Nesse sentido, é intuito da empresa introduzi-lo em “todos os mercados e setores de atividade, como saúde, mobiliário, transportes, turismo e lazer, moda e beleza, entre outros”.

Testes garantidos por laboratórios de referência

A empresa de Famalicão garante que “os artigos têxteis passaram por extensos testes de laboratório, sendo a sua eficácia testada e certificada de acordo com as normas ISO 20743, ISO 18184 e AATCC100. O seu efeito antiviral rápido foi demonstrado entre dois a cinco minutos, proporcionando uma superfície auto-higienizada. Os testes foram realizados pela Microbe Investigations e pelo Bureau Veritas, e esperam-se novas parcerias com laboratórios nacionais no futuro.

As malhas e tecidos tratados com estes novos acabamentos ajudam a reduzir o risco de persistência viral e bacteriano em superfícies secas inanimadas, diminuindo o potencial de transmissão. Os artigos foram ainda testados dermatologicamente tendo obtido a classificação de não irritante, provando o seu conforto e suavidade em contacto com a pele”.

Produtos auto-higienizáveis são hoje em dia um requisito generalizado

“A pandemia de covid-19 afetou gravemente a vida das pessoas, bem como a economia mundial. Não vai desaparecer em breve, por isso tivemos que nos reinventar para fazer face a esta nova realidade”, explica Luís Cristino, CEO da Hindu. “O que em tempos foi um requisito predominantemente para a profissão médica, está agora a passar para o setor do vestuário, decoração, automóvel, entre outras”, acrescenta.

Visita de Paulo Cunha no âmbito do Roteiro Municipal pela Inovação

“Um belíssimo exemplo da capacidade visionária dos nossos empresários que mostram,  através de exemplos como este da Hindu, que baixar os braços não é solução”, destaca Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal de Famalicão. O autarca visitou a empresa no âmbito do Roteiro Municipal pela Inovação. Na ocasião, valorizou a juventude de Luís Cristino, assinalando que, deste modo, “o futuro empresarial de Famalicão está em boas mãos”.

O projeto Protect By Hindu foi recentemente distinguido pelo Município de Famalicão com o selo “Famalicão Visão’25”, na categoria “Famalicão Made In”, pela forma como têm contribuído para a implementação de projetos empreendedores que potenciam a incorporação tecnológica e a aplicação de soluções de futuro.

 

Imagens: (0) Município de Famalicão, (1) Hindu TT

**

*

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking ou multibanco.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Economia

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.