Cientista arcuense destacou-se pelo seu interesse pelas energias renováveis, em particular a energia solar

Inovação | Pioneirismo do Padre Manuel Himalaya em destaque na National Geographic

Inovação | Pioneirismo do Padre Manuel Himalaya em destaque na National Geographic

Pub

 

 

A revista National Geographic, do mês de outubro, apresenta, em grande destaque, aquele que é considerado um dos maiores cientistas e visionários portugueses da viragem do século XIX para o século XX, o Padre Manuel Himalaya. Nascido em Cendufe, Arcos de Valdevez, no Alto Minho, o Padre Manuel Hinalaya era homem invulgar na sua época tendo-se notabilizado por ter tentado explorar industrialmente a energia solar.

Este sacerdote católico, cientista e inventor, pioneiro do aproveitamento da energia solar e introdutor em Portugal do interesse pelas energias renováveis, era também vegetariano e defensor da naturopatia, em particular da fitoterapia e da hidroterapia.

Uma máquina de outro mundo

O Pirelióforo, a fantástica máquina solar, protagonista deste artigo, representa uma das invenções do percurso excecional deste cientista, tendo-lhe garantido, em 1904, o Grande Prémio da Exposição Internacional de St. Louis, nos EUA. Este engenho “tinha como objetivo o aproveitamento industrial e agrícola do calor do Sol, uma visão revolucionária das energias renováveis no início do século XX”, realça a publicação. Mesmo sofrendo a competição dos cerca de 500 pavilhões existentes, apesar de nem sequer ter sido registado, dada a espectacularidade das suas dimensões, rapidamente o aparelho tornou-se numa das grandes atracções da feira mundial, visitado por centenas de milhar de pessoas.

Neste artigo são ainda referidas algumas curiosidades biográficas do notável cientista arcuense falecido em 1933, com 65 anos. De origens rurais e com forte ligação à agricultura e às tradições populares minhotas, manteve ao longo da vida interesse pelas culturas agrícolas, em especial nas questões relativas à fertilização dos solos e da produção de adubos e da escolha de plantas e cultivares a empregar em função do solo e do clima, tendo por aí começado as suas explorações científicas, mas também pela biodiversidade e tratamentos naturais.

Arcos de Valdevez ganha Oficina da Criatividade

Na revista também é dado conta que, para homenagear o Padre Manuel Himalaya, o Município de Arcos de Valdevez criou a “Oficina de Criatividade Himalaya”, espaço que será inaugurado a breve trecho. Dedicado à ciência educativa, com diversas áreas de exposição e de experimentação, baseados na vida, na filosofia e no pensamento de Manuel Himalaya, tais como a Ciência, a Educação, a Ecologia e a Filosofia, irá operar como um equipamento de descoberta e fruição. O principal alvo, claro, são as crianças e respetivas famílias.

Fonte e Imagens: Município dos Arcos de Valdevez

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking ou multibanco.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Ciência, Cultura

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.