Planos para o presente devem ter como horizonte o futuro

Crise | ‘Igualdade de oportunidades’ no centro de medidas do PSD no sentido de combater efeitos nefastos da pandemia

Crise | ‘Igualdade de oportunidades’ no centro de medidas do PSD no sentido de combater efeitos nefastos da pandemia

 

 

As soluções para os problemas do País devem ter como horizonte o futuro, assinala Rui Rio, o Presidente do Partido Social Democrata. Por outro lado, no imediato, tendo em vista dar uma resposta às necessidades do tempo presente, o Presidente do PSD alerta para a necessidade de o Estado valorizar, sobretudo, as respostas de âmbito social, não devendo cingir-se aos “indicadores económicos”.

O dirigente máximo do PSD reafirmou, no final da primeira reunião do Conselho Consultivo do Conselho Estratégico Nacional (CEN), ocorrido este sábado, em Coimbra, a matriz social-democrata do partido que dirige, salientando que o facto de o PSD ser um paladino da “igualdade de oportunidades”. Privilegia, por isso, a área social na resposta à crise originada pela pandemia de Covid-19. Para Rui Rio, esta proposta política “é um objetivo da social-democracia desde sempre”.

“Estivemos hoje, aqui, a ouvir os contributos de um conjunto de personalidades da vida nacional sobre as prioridades da vida no País no curto, no médio e no longo prazo. Todas as soluções que vierem a ser encontradas para os problemas que o País atravessa devem ter como horizonte o futuro”, afiança Rui Rio, começando por fazer um balanço do encontro.

A iniciativa do CEN permitiu debater “ideias muito positivas e boas”, para que o PSD possa apresentar “excelentes contributos” face aos problemas sociais e económicos criados pela pandemia, acrescenta o líder do partido.

Em complemento, explica que os membros do Conselho Consultivo do CEN preconizam propostas políticas para “responder ao presente”, mas com “um horizonte de futuro”, a fim de encontrar soluções para a crise que este ano se instalou, em Portugal e no mundo, por causa da covid-19.

Há necessidade de as medidas a tomar pelo Estado não se cingirem “aos indicadores económicos” e darem  atenção preferencial “à questão social nos próximos tempos”, para serem minimizadas as situações de vulnerabilidade na sociedade portuguesa.

“A igualdade de oportunidades é absolutamente fundamental” para que Portugal consiga ultrapassar as consequências da pandemia, cabendo ao Governo “ter em atenção o problema social”, para melhor responder a uma crise “que se vai intensificar”, conclui Rui Rio.

Para bem do País…

Sobre um possível entendimento com o Partido Socialista, Rui Rio garantiu que “é absolutamente impossível que haja uma convergência completa. Mas era desejável que, naquilo que é estruturante, pudesse haver alguma convergência para o bem do país”, referiu, em declarações citadas por Diana Craveiro, na TSF.

“Entendimento pode haver, desde que seja um documento só do PS” e não do BE ou do PCP, reforçou.

 

Fontes: PSD, TSF; Imagem: PSD

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking ou multibanco.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Categories: Política

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.