Intervenção a realizar até 4 de setembro acontece sobre uma antena de telecomunicações

StreetArt | Rafa López ‘ama o Minho’ contando a história de Melgaço

StreetArt | Rafa López ‘ama o Minho’ contando a história de Melgaço

 

 

O artista andaluz Rafa López está até sexta-feira, dia 4, em Melgaço, para desenvolver uma inovadora obra de arte em espaço público, no âmbito do projeto AMAR O MINHO. O repto lançado ao artista espanhol pelo município passa por intervir artisticamente numa antena de telecomunicações com 20 metros de altura, o que se traduz num desafio de criatividade e arrojo. A inauguração da obra está prevista para Outubro, em data a anunciar. Trata-se da primeira antena de telecomunicações da Altice a ser artisticamente intervencionada, “o que necessitou de estudos especiais de tintas para que nada interfira com a funcionalidade da antena”, adianta Helena Mendes Pereira, curadora do projeto.

Após a intervenção  artística de Xana Abreu que pintou, na Casa da Juventude, em Vila Nova de Famalicão, um mural inspirado no surrealismo português, de Mónica Mindelis, em Guimarães, na escadaria  agora batizada de “Amanhecer”, de Rodrigo Amado, em Mondim de Basto com o projeto fotográfico, cabe agora ao artista espanhol deslocar-se até ao município mais a Norte de Portugal para participar no Programa de Residências Artísticas AMAR O MINHO, um projeto promovido pelo consórcio MINHO IN, constituído pelas Comunidades Intermunicipais do Alto Minho, Ave e Cávado.

Quebrar a paisagem contando a história de Melgaço 

Helena Mendes Pereira, diretora da zet gallery e curadora responsável pelas áreas da arte em espaço público, artesanato e fotografia do programa de residências artísticas levanta a ponta do véu sobre o projeto artístico de Rafa López para o município de Melgaço. “O Rafa é um artista com um referencial expressionista que mistura elementos figurativos com outros geométricos ou abstractos. Em Melgaço, vai trabalhar dentro da linguagem dele, mas integrando elementos iconográficos e identitários locais”, sublinhando ainda que  “o mais interessante é que a intervenção será numa torre de telecomunicações, essencial aos tempos de hoje, o que, mais do que um elemento de disrupção na paisagem, será uma obra de arte e, por isso, um ganho para o território.” Sobre a obra que está a desenvoler,  Rafa López  adianta que pretende “contar a História de Melgaço, citando elementos identitários e inspirando-se na energia das suas gentes”.

Quem é Rafa López?

Rafa López licenciou-se em Belas Artes pela Universidade de Sevilha e possui mestrado na área das técnicas da ilustração pela CEA de Sevilha. Desde 2009 que vence vários prémios de pintura em Espanha e que tem feito um percurso expositivo seletivo no seu contexto nacional e internacional. Em 2017 apresentou-se pela primeira vez em Portugal com “Nocturnos de La Ventana”, em Braga, uma exposição individual que partiu do título de um poema de Federico Garcia Lorca e que granjeou elevado sucesso junto do público e apreciadores de arte.

Amar o Minho estabelece rede de residências artísticas nos 24 municípios da região

Este projeto de residência artísticas é uma iniciativa de promoção da cultura, dos artistas e do turismo sob a marca “AMAR O MINHO”, com o apoio do Norte 2020 e dos FEEI, que  cria a maior rede de residências artísticas nos 24 municípios representados pelas três CIM da região, numa estratégia concertada que se destina a reforçar a identidade cultural do Minho e, desta forma a dinamizar o território do ponto de vista artístico e turístico.

Do Alto Minho ao Ave, passando ainda pelo Cávado, o programa inclui artistas, nacionais e estrangeiros, que, até junho de 2021, vão habitar o território e recriá-lo em projetos de arte em espaço público, artesanato, fotografia, música, dança e literatura.

Fonte e Imagem: Minho In

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho comunitário que temos vindo a desenvolver.

Cidadania e serviço público, a Vila Nova é uma publicação diária digital generalista de âmbito regional, independente e plural. É também gratuita para os leitores porque acreditamos que a Informação e Opinião de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, receba publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais ou outros.

*

Categories: Agenda, Arte

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.