Longa-metragem desenvolvida em parceria com João Palhares, o amigo de longa data com quem o realizador partilha a direção do cineclube Lucky Star

Cinema | ‘Os Conselhos da Noite’ do bracarense José Oliveira estreia em setembro

Cinema | ‘Os Conselhos da Noite’ do bracarense José Oliveira estreia em setembro

 

 

“Amigos,

O filme Os Conselhos da Noite já tem nova data de estreia: 17 de Setembro, em todo o país.

Está na hora de regressarmos aos cinemas.

Um abraço.”

É assim que José Oliveira, realizador bracarense, anuncia aos seus amigos e seguidores o prometido lançamento da sua mais recente longa-metragem que era para ter acontecido por alturas do início da pandemia. Desta vez, deverá mesmo acontecer; assim se espera. A antestreia está marcada para o Theatro Circo, a 14 de setembro. O filme era para ter estreado em 2 de abril.

Jornalista retirado e desiludido com o seu passado, Roberto acaba de largar o trabalho no campo numa quinta alentejana, onde se recolheu nos últimos anos, longe dos grandes centros urbanos com que sonhou na juventude. Braga, a sua cidade natal e onde não mete os pés há mais de uma década, vai servir de esconderijo que ele pensa derradeiro, também devido à sua convulsa saúde.

Mas, repentinamente, uma potente energia vai rasgar essa terra que julgava parada no tempo. Entre regressos à infância e estranhas asceses, amores proibidos e reencontros inesperados, a vida pulsante que o surpreende na noite e várias formas de arte viscerais, um fôlego incendiário vai tomar conta das suas entranhas rumo a um novo capítulo.

Roberto “é uma pessoa que, apesar de ficar espantado com o que vê na cidade de cara lavada, tem uma família tradicional e não se conseguiu libertar das origens, do passado. Ao mesmo tempo, é uma atitude provocatória, quer viver de uma certa maneira, largar os telemóveis e ir para a rua ver o que se passa, ir ao cinema, dançar, é uma atitude que tem a ver com estes tempos, em que se liga mais aos telemóveis do que às pessoas”, referiu José Oliveira, em entrevista à Lusa publicada no Observador, ainda antes da antestreia ocorrida na edição 2020 do Fantasporto.

A ideia para esta longa-metragem surgiu em 2014, em conjunto com o argumentista bracarense João Palhares – amigo do realizador e também parceiro de outras aventuras cinematográficas, por exemplo, na direção do Lucky Star – Cineclube de Braga. Nessa altura, o realizador trabalhava em Lisboa. Quando regressava a Braga apercebia-se das mutações que a cidade atravessava, com uma nova “energia criativa e cultura” e uma outra “visão do mundo, a nível artístico e da sociedade”.

Ficha técnica

Realização: José Oliveira

Elenco: Adolfo Luxúria Canibal, Vicente; Arlete de Sousa, mãe; José Lopes, José Topa , pai; Manuel Teixeira , Zé; Marta Carvalho, Sara; Tiago Aldeia, Roberto.

Argumento: João Palhares, José Oliveira; Direcção de Fotografia: Manuel Pinto Barros; Montagem: Diogo Vale; Música: Luís Fernandes

Produção: The Stone and The Plot; Produtor: Daniel Pereira

Fontes: José Oliveira, CinePt, Observador; Imagens: The Stone and the Plot

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais ou outros.

*

Categories: Cultura

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.