notícia . análise . contexto . opinião

Gabinete de arquitetura de Matosinhos selecionado para a implementação do projeto de execução do loteamento para 150 fogos de construção a custos controlados na Póvoa de Varzim 

Urbanismo | Projetos com Propósito vence projeto de urbanização na Gândara e Mariadeira

Urbanismo | Projetos com Propósito vence projeto de urbanização na Gândara e Mariadeira

 

 

Na Póvoa de Varzim, o concurso público de ideias para o projeto de Loteamento de Espaço Público, Zona Habitacional e Pavilhão Desportivo, situado no Lugar da Gândara e Mariadeira, já tem vencedor conhecido. O trabalho nº 2, apresentado pelo gabinete Projetos com Propósito superou a concorrência e foi o escolhido para a implementação do projeto de execução do loteamento para 150 fogos de construção a custos controlados.

O projeto vencedor foi considerado como tendo as melhores condições para articular os espaços dentro do território, por forma a respeitar a continuidade com os espaços envolventes e a coesão da malha urbana, promover um espaço público dotado de equipamentos de utilização coletiva capaz de agregar e referenciar esta zona da cidade como polo de desenvolvimento e servir como modelo para outras ações urbanísticas, nomeadamente de iniciativa particular.

A proposta vencedora teria de ser consubstanciada na quantidade e valor de solo natural libertado de construção; nos espaços de lazer e recreio infantil e na disseminação de serviços ou pequenos comércios agregadores e de primeira necessidade, sempre e adequadamente servidos por redes integradas de mobilidade viárias, pedonais, cicláveis, e infraestruturas inteligentes e sustentáveis.

Este concurso foi realizado pelo Município da Póvoa de Varzim em conjunto com a Ordem dos Arquitetos. O júri que avaliou os trabalhos a concurso era composto pelo Vereador do Pelouro das Obras Municipais da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Eng. Luís Ramos, pelo Chefe da Divisão de Gestão de Projetos da Câmara Municipal, Arq. Eurico Rebelo e pelo representante da Ordem dos Arquitetos, Arq. Paulo Calapez.

A apreciação foi efetuada tendo em atenção os seguintes três critérios de seleção pré-definidos: referenciação do espaço público (valorizado em 40%), qualidade arquitetónica e urbanística (30%) e integração e expansão (30%). Após afetação, foi atribuída uma pontuação final de 7,3 (de 0 a 10) ao trabalho vencedor.

Relativamente à referenciação do espaço público, o júri considerou que a proposta apresentada pela Projetos com Propósito “não se encontra contida a nível do solo, tornando-se aberta e fluída”, conciliando “percursos pedonais com as entradas dos edifícios e pequenas áreas de serviços e comércio” e privilegiando o espaço exterior com a criação de “uma área para desporto ao ar livre e um parque infantil”.

Deste modo, o trabalho vencedor confirma “os valores da paisagem, das referências, das características do lugar, do desenho dos espaços, das dinâmicas próprias e da identidade dos novos espaços construídos e das relações com as preexistências ou com a natureza e sustentabilidade”. Liberta, assim, “espaço para fruição e enquadramento paisagístico”, maximizando a “sustentabilidade e eficiência energética” e permitindo “continuidade de paisagem e arranjo exterior/espaço público, usufruto, recreio e lazer, bem como mobilidade sustentável, ciclável e pedonável com elevado nível de conforto e segurança”.

No que concerne ao segundo critério, relativo à qualidade arquitetónica e urbanística, o júri realçou a “preocupação de sustentabilidade e energia”, sublinhando que o trabalho nº 2 se “adequa à memória da paisagem do território de intervenção atual contemplado ao nível térreo, conjugando sustentabilidade e soberania alimentar com transferência energética de forma inovadora” e propõe “espaço de desporto exterior”, adicionando valências ao espaço público com a proposta de inclusão de um parque infantil como equipamento.

Quanto ao critério de integração e expansão, o projeto vencedor destaca-se pelo “uso do espaço público e sua envolvente e respetiva integração” e conjugação com “percursos e continuidades pedonais e ciclovias seguras e atrativas à mobilidade geral, qualificando espaços” e “integrando arquiteturas e populações”.

Entre os demais trabalhos a concurso, os projetos nº 3, de João Paulo Loureiro, e nº 12, apresentado por Cannatá & Fernandes, arquitetos + Cesário Moreira, projetistas e consultores, apesar de não selecionados foram igualmente distinguidos com uma menção honrosa.

A avaliação do júri foi aprovada em Reunião de Câmara, no dia 21 de julho. O Presidente da Câmara Municipal, Aires Pereira, destacou o grande interesse que este concurso público suscitou, com o número de propostas a ascender as duas dezenas, comprovando as vantagens deste tipo de concurso para a análise de diferentes ideias e contributos.

O executivo considerou unanimemente que a proposta escolhida era “a mais adequada e a que melhor se insere nos objetivos que temos para aquele espaço”. Segue-se o desenvolvimento do projeto de execução para posterior lançamento do concurso para esta “importantíssima obra no que se refere à oferta de habitação a custos controlados para fixar população no nosso concelho, nomeadamente, população jovem”.

 

Fonte e Imagens: Município da Póvoa de Varzim

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Categories: Sociedade

About Author

Related Articles

Write a Comment

Only registered users can comment.