Iniciativa vai beneficiar de um apoio de mais de 700 mil euros para a sua dinamização

Turismo | Rota Camilo assume-se cada vez mais como um produto de interesse turístico-cultural

Turismo | Rota Camilo assume-se cada vez mais como um produto de interesse turístico-cultural

 

 

A Rota Camilo, um projeto de valorização do património de Camilo Castelo Branco enquanto produto de interesse turístico-cultural promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, em parceria com diversas instituições do norte do país, vai beneficiar de um investimento de mais de 700 mil euros para a sua dinamização, entre os quais uma comparticipação FEDER de cerca de 500 mil euros.

O município famalicense acaba de ver aprovadas duas candidaturas ao programa operacional Norte 2020 que vão permitir, por um lado, a modernização e requalificação da Casa-Museu Camilo Castelo Branco, em S. Miguel de Seide, nomeadamente a reconstrução da Quinta de São Miguel e da Casa dos Caseiros. E por outro, estabelecer uma rede de experiências inspiradas em Camilo com recurso à vida e obra do escritor, com o objetivo de aumentar exponencialmente de ligações ao legado deixado por ele.

As candidaturas intitulam-se “Rota Camilo: Valorização da Casa-Museu e Cemitério da Lapa” e “Rota Camilo: Qualificação e Divulgação Territorial” são projetos cofinanciados pelo Norte 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

No primeiro caso, a candidatura foi apresentada em conjunto com a Venerável Irmandade da Lapa, do Porto, e vai permitir ainda a qualificação do cemitério da Lapa, um monumento de interesse público, onde está localizado o jazigo de Camilo Castelo Branco. Em S. Miguel de Seide, a Casa Museu de Camilo ganhará novos espaços aptos ao acolhimento de experiências como visitas encenadas, degustações de ementas camilianas, pequenas performances, programas noturnos, entre outras.

No que diz respeito à segunda candidatura o município de Vila Nova de Famalicão assume o papel de beneficiário líder e o município de Ribeira de Pena é co-beneficiário, em concertação com uma rede de parceiros distribuídos pela região, nomeadamente a Câmara Municipal do Porto, o Centro Português de Fotografia, a Confraria do Bom Jesus, CP – Comboios de Portugal e Venerável Irmandade de Nossa Senhora da Lapa.

Neste âmbito, a Casa Museu de Camilo, localizada em S. Miguel de Seide assume-se como o polo de acolhimento e distribuição da Rota de Camilo, mobilizando os públicos a partir do polo turístico do Porto para os destinos do Minho e Trás-os-Montes.

As intervenções deverão ficar concluídas até ao segundo semestre de 2021, altura em que a Casa-Museu assinalará 100 anos de abertura ao público.

A Rota Camilo foi lançada em março de 2017, no Porto, no dia em que se assinalava o 192.º aniversário do nascimento do gigante das letras portuguesas. Paulo Cunha, o presidente da autarquia famalicense, destacou na altura que “Camilo é um escritor que ultrapassa as fronteiras de Famalicão e com um potencial enorme em termos de promoção turística”, adiantando que “não se trata da promoção de um território, de um concelho, mas antes da promoção de um património e de uma época”. “A quantidade e a qualidade de obras literárias que nos legou é uma verdadeira herança que nos compete promover”, salientou ainda.

 

Fonte e Imagem: Município de Famalicão

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabaVer artigolho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Categories: Cultura, Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.