‘A publicação de documentos por Julian Assange espelha a conduta de jornalistas de investigação, pelo que estas acusações podem ter um efeito dissuasor sobre o direito à liberdade de expressão’

Liberdade | Amnistia Internacional exige que Estados Unidos retirem acusações contra Julian Assange

Liberdade | Amnistia Internacional exige que Estados Unidos retirem acusações contra Julian Assange

 

 

“Junte-se a nós para proteger o direito à liberdade de expressão.

Assine este apelo e inste as autoridades dos EUA que retirem as acusações contra Julian Assange”.

É deste modo que a Amnistia Internacional assume nova campanha em favor do fundador e dirigente da Wikileaks, mas também de acesso à informação e direito à liberdade de expressão, que enfrenta uma eventual pena que pode ir até 175 de prisão pela divulgação não autorizada de informação considerada confidencial por aquele país.

“As autoridades nos EUA devem retirar as acusações de espionagem, entre outras, contra Julian Assange”, especifica a organização de defesa dos direitos humanos.  Adjetivando a perseguição pelo governo dos EUA a Julian Assange devido à publicação de documentos que incluíam possíveis crimes de guerra cometidos pelas forças armadas norte-americanas aquando das Guerras do Afeganistão e no Iraque como “implacável”, a ONG considera tal encalço como “nada menos do que um ataque em larga escala ao direito à liberdade de expressão”.

Julian Assange encontra-se atualmente detido em Belmarsh, uma prisão de alta segurança no Reino Unido, com base num pedido de extradição dos EUA por acusações que derivam diretamente da publicação de documentos como parte do seu trabalho com a Wikileaks. Esta detenção acontece depois de Julian Assange ter vivido anos de exílio, iniciados a 20 de junho de 2012 e terminados a 11 de abril de 2019, na Embaixada do Equador naquele país.

A Amnistia Internacional opõe-se fortemente a qualquer possibilidade de Julian Assange ser extraditado – ou enviado de alguma outra maneira – para os EUA. Aí, “enfrenta um risco real de sofrer graves violações de direitos humanos, incluindo possíveis condições de detenção que equivaleriam a tortura e outros maus-tratos (tais como regime de isolamento prolongado)”. Além disso, “o facto de ele ter sido alvo de uma negativa campanha pública por responsáveis norte-americanos, ao mais alto nível, compromete seriamente o seu direito à presunção de inocência e coloca-o em risco de um julgamento injusto”.

“A publicação de documentos por Julian Assange como parte do seu trabalho na Wikileaks não deveria ser punível, já que esta atividade espelha a conduta que os/as jornalistas de investigação assumem regularmente no exercício da sua profissão”, lembra a Amnistia Internacional. Por essa razão, “indiciar Julian Assange com base nestas acusações pode ter um efeito dissuasor sobre o direito à liberdade de expressão, levando os/as jornalistas à autocensura por receio de ação penal”.

Fontes: AI, DN, Outras Palavras, Wikileaks, Wikipedia; Imagem: AI

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Categories: Política, Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.