Acréscimo em relação aos valores previstos de quase 500 milhões de euros no período 2021-2027

Agricultura | Portugal reforça fundos da PAC após negociação do Conselho Europeu

Agricultura | Portugal reforça fundos da PAC após negociação do Conselho Europeu

Pub

 

 

Na sequência de uma longa negociação iniciada a 17 de julho, o Conselho Europeu alcançou o acordo que estabelece o orçamento da UE para o período 2021-2027. As conclusões sobre o plano de recuperação e o quadro financeiro plurianual foram adotadas a 21 de julho, possibilitando a definição da distribuição de Fundos, nomeadamente para a Política Agrícola Comum (PAC). Os recursos financeiros destinados à agricultura e ao desenvolvimento rural provêm do Quadro Financeiro Plurianual e do Instrumento de Recuperação (Next Generation EU).

Com o envelope acordado para a PAC, o Ministério da Agricultura considera estarem asseguradas as condições necessárias para que o setor agrícola, fulcral no desenvolvimento do país, possa superar os desafios que se lhe colocam, garantindo a sua modernização e o apoio a uma transição justa para maior sustentabilidade ao longo dos próximos 7 anos. 

20 milhões de euros para a agricultura portuguesa 

A partir de 2021 estarão disponíveis 9.782 milhões de euros de fundos comunitários distribuídos pelo I pilar da PAC (Pagamentos Diretos e Medidas de mercado), com 5.509 milhões de euros, e pelo II pilar da PAC (Desenvolvimento Rural), com 4.274 milhões de euros.

Como resultado desta negociação, Portugal conseguiu um reforço de 446 milhões de euros do envelope financeiro global da PAC para o período 2021-2027, representando um acréscimo de 5% a preços correntes comparativamente ao período de 2014-2020.

Assinale-se que “o peso da agricultura no PIB nacional é de cerca de 4% e o setor agrícola nacional tem vindo a protagonizar uma excelente resposta em termos da modernização dos seus sistemas de produção, na aplicação das novas tecnologias”, esperando-se que assim se consiga ir mais longe. Afinal, a modernização em curso tem-se refletido “na produção de alimentos, no desenvolvimento dos territórios rurais e na preservação de bens públicos ambientais. O impacto em termos de emprego e das exportações é inegável”, conforme  referiu António Costa e Silva, na apresentação da ‘Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030’ esta semana.

Destaca-se ainda que o processo negocial permitiu inverter o corte inicialmente previsto na proposta da Comissão Europeia, em junho de 2018, que se cifrava em -15% no Desenvolvimento Rural, e um reforço de 2 pontos percentuais no caso dos Pagamentos Diretos.

Fontes: GPP, MA; Imagens: (0) Patrício Rodrigues, (1) GPP

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.