Tribunal com jurisdição territorial sobre os municípios de Gondomar, Valongo, Maia, Matosinhos, Vila do Conde, Póvoa de Varzim e Trofa

Justiça | Novo Tribunal de Comércio de Santo Tirso abre ao público

Justiça | Novo Tribunal de Comércio de Santo Tirso abre ao público

Pub

 

 

O novo Juízo de Comércio de Santo Tirso abriu portas na Rua Ângelo de Andrade. A mudança do Palácio da Justiça para o antigo edifício das Finanças pretende trazer melhores condições de trabalho àquele que é considerado o juízo mais produtivo a nível nacional.

“É uma enorme satisfação vermos esta obra concluída”, refere o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Alberto Costa, lembrando que, desde a primeira hora, “a autarquia esteve empenhada em criar todas as condições necessárias para que fosse possível, no âmbito da reforma do mapa judiciário de 2014, a integração em Santo Tirso da instância do Comércio”.

Com a mudança de instalações, o autarca considera que ficam, a partir de agora, “asseguradas excelentes condições de trabalho a um juízo que já é uma referência a nível nacional”. “Trata-se não só de um tribunal com um enorme volume processual, mas que, segundo os dados revelados pela Comarca do Porto, é o mais produtivo do país”, sublinha Alberto Costa.

Jurisdição territorial alargada

O Tribunal de Comércio de Santo Tirso tem competência territorial sobre os municípios de Gondomar, Valongo, Maia, Matosinhos, Vila do Conde, Póvoa de Varzim e Trofa. Com a mudança de instalações, passa a funcionar numa área de cerca de 750 metros quadrados.

As obras de requalificação do antigo edifício das Finanças resultaram do diálogo estabelecido entre o Município de Santo Tirso e o Governo, nomeadamente com o Ministério da Justiça, e do protocolo assinado com o Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça. O investimento total foi de, aproximadamente, 800 mil euros.

 

Fonte e Imagem: Município de Santo Tirso

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.