Utilização omnipresente deste tipo de equipamento individual retarda propagação de pandemia

Saúde | Adoção precoce de máscaras relacionada com taxas modestas de infeção por Covid-19

Saúde | Adoção precoce de máscaras relacionada com taxas modestas de infeção por Covid-19

Pub

 

 

Os países e regiões do mundo que mostraram um maior interesse precoce no uso de máscaras faciais tiveram epidemias mais leves de Covid-19 e podem potencialmente ter contido o surto em 42 diferentes países de todo o mundo, revela um estudo da Universidade Chinesa de Hong Kong intitulado “Covid-19 e Interesse Público no Uso de Máscaras Faciais”.

Os autores do estudo observaram que “em muitos países asiáticos como a China e o Japão, o uso de máscaras faciais durante a pandemia é omnipresente e mesmo considerado uma etiqueta de higiene, enquanto em muitos países ocidentais o seu uso no público é menos comum”.

Assim, em função dos dados recolhidos, consideram ter havido uma clara correlação negativa entre a consciencialização ou aceitação geral do uso de uma máscara facial e as taxas de infeção. “Um exemplo clássico é visto em Hong Kong”, assinalou o médico Sunny Wong, professor associado do Departamento de Medicina e Terapêutica da Universidade Chinesa de Hong Kong.

“Apesar da proximidade [de Hong Kong] à China continental, a sua taxa de infecção por Covid-19 é considerada modesta, com apenas 1.110 casos registados até ao momento. Isso correlaciona-se com o uso quase omnipresente de máscaras faciais na cidade (até 98,8% dos entrevistados). Padrões similares são encontrados em outras áreas asiáticas, como Taiwan, Tailândia e a Malásia”. Até ao momento, existem mais de dois milhões de casos nos EUA e mais de um milhão de casos no Brasil.

Contenção da pandemia depende sobretudo de cuidados pessoais

Embora os autores reconheçam que as máscaras faciais são vistas como importantes para retardar o aumento das infecções por Covid-19, assinalam que é difícil avaliar se esta prática é mais eficaz do que lavar as mãos ou mesmo do que a manutenção da distância social.

Como muitas regiões têm vindo a colocar em prática planos de reabertura, Sunny Wong reforça a mensagem de que o uso de máscaras faciais deve ser incentivado: “As máscaras faciais podem ajudar a retardar a propagação do Covid-19 e a um custo relativamente baixo em comparação aos recursos de saúde e número de mortos associados à pandemia”.

O médico acrescentou ainda: “Acreditamos que o uso de máscara facial, lavagem das mãos e distanciamento social são componentes importantes das medidas não farmacêuticas contra o Covid-19”.

investigadores da Universidade Chinesa de Hong Kong compartilharam descobertas das suas análises de como o interesse público no uso de máscaras faciais pode ter afetado a gravidade das epidemias de Covid-19

 

Fonte: AJRCCMedicine; Imagem: Adam Niescioruk

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Pub

Categorias: Ciência, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.