Alguns dos equipamentos também não cumpriam os requisitos de segurança

Crime | ASAE encerra operação de fabrico ilegal de máscaras contrafeitas em Barcelos

Crime | ASAE encerra operação de fabrico ilegal de máscaras contrafeitas em Barcelos

Pub

 

 

A ASAE suspendeu o fabrico de máscaras contrafeitas em Barcelos após uma ação de fiscalização a uma empresa de personalização têxtil ali localizada. A unidade industrial produzia máscaras ilícitas que ostentavam “falsificações de marcas protegidas desportivas e de moda”, anunciou a força policial, em comunicado divulgado pela TSF em primeira mão.

Sem indicar qual a empresa em questão, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica explicou que foram detetadas e apreendidas cerca de duas centenas e meia de máscaras contrafeitas que não cumpriam também os requisitos de segurança previstos.

Na ação de fiscalização na empresa de personalização têxtil no concelho de Barcelos, a ASAE apreendeu ainda “todo o material predominantemente utilizado na falsificação dos produtos”.

Ao todo, foram apreendidos seis quadros utilizados para a estampagem dos artigos, 2.867 transferes referente às marcas e ainda 260 cortes de tecido já preparados para o fabrico dessas máscaras.

“Com esta intervenção, a ASAE retirou do mercado máscaras ilícitas que, para além de ostentarem ilegalmente marcas registadas (em violação dos direitos de propriedade industrial), não cumpriam os requisitos de segurança previstos para este tipo de equipamento para uma efetiva proteção dos seus utilizadores”, destaca-se.

A operação da ASAE decorreu através da sua Unidade Nacional de Informações e Investigação Criminal.

Fonte: TSF; Imagem: DNM

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.