‘Amar o Minho’ dinamiza arte e turismo em 24 municípios da Região do Minho

StreetArt | ‘Amanhecer’ de Mónica Mindelis em Guimarães inspirada pelas coleções do CIAGJ e pelo têxtil da região

StreetArt | ‘Amanhecer’ de Mónica Mindelis em Guimarães inspirada pelas coleções do CIAGJ e pelo têxtil da região

Pub

 

 

A brasileira Mónica Mindelis, residente em Lisboa há quase duas décadas, deu vida a uma das escadarias que dão acesso à Plataforma das Artes, junto ao Centro Internacional de Artes José de Guimarães, em Guimarães. “Amanhecer” é o  nome da obra de arte resultante da residência artística que a artista fez em Guimarães, entre maio e junho, no âmbito do programa de Residências Artísticas do projeto Amar o Minho, uma iniciativa promovida pelo consórcio MinhoIn, constituído pelas Comunidades Intermunicipais do Alto Minho, Ave e Cávado.

“Inspirada pelas coleções do CIAJG, pelas cores de José de Guimarães e pelo têxtil, marcas identitárias locais, Mónica Mindelis emprestou delicadeza e elegância a um espaço devoluto”,  sublinha Helena Mendes Pereira, diretora da zet gallery e uma das curadoras deste projeto inovador que criou a maior rede de residências artísticas na região do Minho.

A intervenção artística de Mónica Mindelis em espaço público “criou um caminho e abriu um sonho”, juntando-se agora à de Xana Abreu que pintou, na Casa da Juventude, em Vila Nova de Famalicão, um mural inspirado no surrealismo português.

Ambas as obras podem ser visitadas, estando ainda acessíveis ao público via digital, através dos vídeos divulgados nas redes sociais que mostra todo o processo de criação daquelas fantásticas obra de arte em espaço público.

O projeto de residência artísticas é uma iniciativa de promoção da cultura, dos artistas e do turismo sob a marca ‘Amar o Minho’, com o apoio do Norte 2020 e dos Fundos Europeus Estruturais de Investimento (FEEI), que  cria a maior rede de residências artísticas nos 24 municípios representados pelas três Comunidades Intermunicipais da região. Esta estratégia concertada destina-se a reforçar a identidade cultural do Minho e, desta forma, dinamizar o território do ponto de vista artístico e turístico.

Helena Mendes Pereira, diretora da zet gallery, é a curadora responsável pelas áreas da arte em espaço público, artesanato e fotografia, cabendo a António Rafael, membro da banda Mão Morta, a curadoria dos projetos na área da música, dança e literatura.

Do Alto Minho ao Ave, passando ainda pelo Cávado, o programa inclui artistas, nacionais e estrangeiros, que, até junho de 2021, vão habitar o território e recriá-lo em projetos de arte em espaço público, artesanato, fotografia, música, dança e literatura.

Obs: artigo atualizado em 27062020, 15h20, com inclusão de fotos de JsRocha.

Fonte: MinhoIn; Imagens: (0) MinhoIn, (1, 2) JsRocha

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Pub

Categorias: Arte

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.