Projeto €UROGEST ensina controle financeiro e dá vitória aos famalicenses na categoria 2º Ciclo de Ensino Básico

Ensino | Turma 10 do 6º ano da Júlio Brandão brilha no concurso ‘No Poupar Está o Ganho’

Ensino | Turma 10 do 6º ano da Júlio Brandão brilha no concurso ‘No Poupar Está o Ganho’

Pub

 

 

A turma 10 do 6º ano da Escola Básica Júlio Brandão, do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco, está de parabéns. Venceu o 1º. Prémio da final do concurso “No Poupar Está o Ganho”, promovido pela Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, com o projeto “€UROGEST – ‘carteira’ digital” na passada sexta-feira, 19 de junho. Este grupo de alunos é um dos que conseguiu especial destaque entre os 5.792 alunos que participaram nesta edição do concurso.

“Este prémio representa o culminar de um trabalho feito ao longo deste ano letivo. Um ano bastante peculiar”, refere o professor Carlos de Castro. Nesse sentido, “é com satisfação que recebemos este prémio que toca nas mais variadas áreas do conhecimento”, salienta o docente.

O professor aponta ainda que “os alunos aderiram muito bem ao projeto, sobretudo à plataforma online que os torna mais autónomos, pois esta tem fichas e filmes que eles podem aceder, cada um ao seu ritmo”. Destaca ainda que, “para além das vantagens que os alunos retiram deste projeto, também os próprios professores beneficiam da formação ministrada através da plataforma online”.

Processo simples ensina controlo financeiro

O trabalho final realizado pelos alunos, intitulado €UROGEST, foi elaborado em formato .xlsm do Microsoft Excel e pretende ser uma “carteira” digital.

Esta “carteira” tem como principal objetivo ajudar os crianças e adolescentes a terem um controle financeiro dos seus rendimentos incentivando desta forma a educação financeira.

Muitos pais fornecem uma mesada com o objetivo de ensinar os filhos a poupar. Como nem sempre é tarefa fácil, foi criado o €UROGEST que funciona como um guia prático para gerir as diferentes fontes de rendimento que uma criança/adolescente pode ter.

Os utilizadores, a partir de uma interface muito simples, vão poder simular depósitos, levantamentos, transferências e consultar saldos de movimentos a débito, a crédito e de poupanças.

Marcelo Rebelo de Sousa apadrinha o evento

A Sessão de encerramento da 10ª edição do Projeto de Educação Financeira “No Poupar Está o Ganho”, decorreu, na passada sexta-feira, em formato online, através dos canais Facebook e do Youtube, e deu a conhecer os grandes vencedores do concurso final de trabalhos e contou com a participação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

“A Fundação Dr. António Cupertino de Miranda é uma referência nacional na Educação Financeira e ninguém duvida que esta é indispensável. As questões financeiras não são simples nem podem ser deixadas ao acaso, por isso a aquisição de conhecimento permite compreender a complexidade desse mundo. Não se pode esperar que sem esse conhecimento o cidadão comum fique apto a tomar decisões certas sobre os seus rendimentos, os seus gastos ou os seus investimentos. Nesse sentido, defendo, há muito, que este conhecimento deveria ser adquirido na escola e desde o ensino básico”, afirmou o Presidente da República.

Marcelo Rebelo de Sousa salientou ainda que “com o projeto ’No Poupar Está o Ganho’ a fundação tem proporcionado estímulo e apoio a alunos e professores para que estes abordem com segurança a educação financeira em todos os níveis educativos. No poupar está o ganho. Na formação financeira dos portugueses está o futuro. No digital está uma aposta que é também uma revolução de futuro”, rematou.
Na mesma categoria da turma 10 do 6º ano da Escola Básica Júlio Brandão, os 2º. e 3º. prémios foram para a turma do 5º G da EB Nadir Afonso (Chaves), e do 6ºC do Colégio de S. Gonçalo (Amarante).

Noutras categorias, alunos de Guimarães também saíram vencedores e de Barcelos ocuparam o pódio

Ao nível do 1º ciclo do Ensino Básico, a turma do 3º B da Escola Básica de Agudela, Pampelido, em Matosinhos, foi a vencedora do 1º prémio. Os 2º e 3º Prémios foram para os alunos de Barcelos, da turma 4ºC da EB de Abade de Neiva, e para a Maia, 3º/4º ano da EB de Crestins.

Já na competição do 3º ciclo a grande vencedora foi a Escola Básica e Secundária Santos Simões, em Guimarães. O 2º. Prémio foi atribuído aos alunos do 9º. Ano, da turma E, da EB 2,3/S de Vale Cambra.
No ensino secundário, foi distinguida a turma CP2MM1, do 10º ano, da EPRAMI – Escola Profissional Alto Minho Interior (Deleg.), em Monção.

Para além dos prémios atribuídos pelo júri, foi ainda concedida uma distinção de melhor trabalho, através do voto do público. Nesta categoria, o grande vencedor foi a turma 9º AD da Escola Básica de Dairas, de Vale de Cambra.

O júri do concurso foi constituído por representantes da Faculdade de Economia da Universidade do Porto, do Banco de Portugal, da Direcção-Geral dos Estabelecimentos Escolares e da Associação Portuguesa de Seguradores.

O projeto ‘No Poupar Está o Ganho’ é apoiado pelo Portugal Inovação Social, através do Fundo Social Europeu e formou, ao longo destes 10 anos, mais de 30 mil crianças e jovens de todos os ciclos de ensino, 17 mil dos quais apenas nas últimas 3 edições.

‘No Poupar Está o Ganho’ passará a formato digital

Maria Amélia Cupertino de Miranda, presidente da Fundação Dr. António Cupertino de Miranda destacou o facto de as contingências impostas pela pandemia de Covid-19 terem motivado a Fundação a adaptar o seu programa de educação financeira “No Poupar Está o Ganho”. Fruto desta situação, “o programa ganhará a partir da próxima edição uma modalidade 100% digital, permitindo que todos os momentos que envolviam presença física dos alunos possam, a partir de agora, ser realizados à distância. Até a visita ao Museu do Papel Moeda poderá agora ser realizada online! A versão 4.0 do projeto estará assim totalmente acessível através da plataforma de e-learning No Poupar Está o Ganho, anunciou a Presidente da Fundação.

Educação financeira nas escolas é fundamental e indispensável

A 7 de Maio, foram publicados pela OCDE – Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico os dados relativos ao Programa Internacional de Avaliação de alunos – PISA 2018 que evidenciam a necessidade de se continuar a apostar na educação financeira nas escolas.

As conclusões do estudo indicam que um em cada quatro estudantes, com 15 anos de idade, não consegue tomar decisões simples sobre os seus gastos diários e apenas 10% são capazes analisar questões financeiras complexas. Os dados apontam ainda que alunos com maior nível de literacia financeira têm maior probabilidade de concluir um curso superior e de terem empregos mais qualificados.

Perante este cenário, o documento conclui que as escolas desempenham um papel fundamental na promoção da educação financeira, uma vez que o contexto socioeconómico dos estudantes continua a ser um dos fatores que mais influenciam os níveis de literacia financeira.

Fonte: Município de Famalicão, AECCB; Imagens: AECCB

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.