gnration também está de volta com música, cinema, exposições e laboratórios artísticos

Showbizz | Duo de Andy Shepard e Mário Costa reabre centro cultural bracarense com espetáculo na Black Box

Showbizz | Duo de Andy Shepard e Mário Costa reabre centro cultural bracarense com espetáculo na Black Box

 

 

A 3 de julho, a convite do gnration, o saxofonista britânico Andy Sheppard (na foto) juntar-se-á ao baterista português Mário Costa para um concerto único no arranque da sexta edição do ciclo Julho é de Jazz, que este ano terá concertos distribuídos pelas primeiras quatro sextas-feiras do mês. Até lá, o gnration retoma o trabalho, mas, ao público, apenas disponibiliza o serviço de bilheteira e a possibilidade de visita da exposição de.

Artista com o selo ECM, uma das mais influentes editoras jazz de sempre, Andy Sheppard é um dos mais importantes saxofonistas do jazz europeu e colaborou intensivamente com Carla Bley, George Russel e Gil Evans, três dos mais consagrados compositores do jazz contemporâneo. Recentemente, Sheppard, agora com 63 anos de idade, tem-se apresentado com o seu quarteto, formado por Eiving Aarset na guitarra e eletrónica, Michael Benita no contrabaixo e Sebastian Rochford na bateria. Em março deste ano, estava planeada uma digressão com Mário Costa no lugar de Sebastian Rochford, que acabou por não acontecer.

Consagrado pela crítica internacional como uma das principais referências da bateria no jazz europeu, Mário Costa construiu um notável percurso musical ao longo dos anos. Com mais de 400 concertos realizados enquanto baterista de artistas portugueses como António Zambujo e Ana Moura, integra em simultâneo e ininterruptamente diversas formações de jazz nacionais, como o Ensemble Super Moderne, Hugo Carvalhais Nebulosa e Gileno Santana Metamorphosis. Internacionalmente, é membro do supergrupo de Emile Parisien – Sfumato, com quem editou já dois discos, consagrando Mário Costa ao lado das maiores figuras do jazz mundial como os lendários Michel Portal, Joachim Kühn e Wynton Marsalis. Em 2018, Mário Costa lançou o álbum Oxy Patina (CleanFeed), que apresentou na edição de 2019 do ciclo Julho é de Jazz. A estreia em nome próprio e como compositor recebeu o máximo das estrelas pela revista Jazz.pt, que ainda lhe atribuiu os títulos de “melhor disco do ano” e “músico de jazz nacional do ano”.

Julho é de Jazz prolonga-se por todo o mês

A 10 de julho será a vez do quarteto de luxo formado por Rodrigo Amado (saxofone), Ricardo Toscano (saxofone), João Lencastre (bateria) e Hernâni Faustino (contrabaixo), uma das mais interessantes formações dos últimos tempos no jazz nacional.

Outro concerto encomendado pelo gnration irá proporcionar um encontro entre duas diferentes gerações do jazz português. O pianista João Paulo Esteves da Silva, um dos músicos jazz mais ativos no país e possuidor de uma longa e respeitada carreira, subirá ao palco da blackbox com baterista Pedro Melo Alves, um dos mais promissores nomes do jazz nacional, conhecido também pelo seu trabalho com o grupo The Rite of Trio. O concerto está agendado para a noite de 17 de julho.

O encerramento do ciclo Julho é de Jazz caberá aos Lokomotiv, grupo fundado e liderado pelo contrabaixista Carlos Barretto. Com mais de 20 anos de carreira, os Lokomotiv são uma das mais antigas formações jazz no ativo em Portugal. Carlos Barretto, Mário Delgado (guitarra) e José Salgueiro (bateria e percussões) sobem ao palco a 24 de julho.

Os bilhetes estão já à venda custam 7 euros para cada concerto ou 25 euros para todos os concertos. Os concertos têm início pelas 22 horas.

Diogo Tudela apresenta novo trabalho artístico

A galeria gnration acolherá uma nova exposição do artista e investigador português Diogo Tudela. Através de um estudo comparativo baseado em modelos computacionais, vídeo e som, a exposição vocal tract / black hole / vent shaft (part I) pretende articular possíveis dinâmicas entre o carácter assintótico do abismo vocal e do buraco negro. A exposição inaugura a 3 de julho e estará patente até 3 de outubro. A entrada é gratuita.

Cinema no pátio exterior em agosto

Em agosto, o gnration voltará a receber sessões de cinema ao ar livre com a quinta edição do Cinema no Pátio, que apresentará quatro filmes que se debruçam sobre a viagem como uma das matrizes essenciais da arte cinematográfica desde a sua génese. “Viagem a Itália” (1954), de Roberto Rosselini, “Nostalgia” (1983), de Andrei Tarkovsky, “Em Trânsito” (2018), de Christian Petzold, e “Ao Correr do Tempo” (1975), de Wim Wenders, são os quatros filmes a que o público poderá assistir gratuitamente nas noites de 6, 13, 20 e 27 de agosto, respetivamente. As exibições arrancam pelas 21:30 e realizam-se no pátio exterior do gnration.

Laboratórios de Verão 2020 duplica número de projeto a apoiar

Ao longo de julho e agosto, o gnration acolherá também oito residências artísticas resultantes do programa de apoio à criação artística Laboratórios de Verão, iniciativa do gnration destinada a artistas ou coletividades do distrito de Braga que se proponham a desenvolver conteúdos artísticos originais nos domínios da música, arte e tecnologia. Nos últimos meses, o gnration trabalhou na readaptação da sua estratégia de apoio à criação artística à nova realidade vigente, resultando num aumento significativo dos seus programas de incentivo à criação para artistas locais. De quatro projetos apoiados a cada edição, o número foi duplicado para oito na edição de 2020.

 

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Categories: Agenda, Cultura

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.