Caminho de peregrinação têm motivação predominantemente religiosa, mas por vezes também lúdica

Urbanismo | Braga sinaliza Caminhos de São Bento da Porta Aberta

Urbanismo | Braga sinaliza Caminhos de São Bento da Porta Aberta

Pub

 

 

O Município de Braga avançou esta semana com a sinalização dos caminhos de São Bento da Porta Aberta. Este é um projecto da CIM do Cávado, em parceria com a Irmandade de São Bento da Porta Aberta que, em conjunto com os seis Municípios associados, promovem o projecto “caminhar em segurança” que visa a valorização e sinalização dos caminhos de São Bento da Porta Aberta, de forma a possibilitar uma leitura comum dos vários percursos e uma melhor orientação estratégica e em segurança aos peregrinos e caminhantes.

Brevemente será ainda disponibilizado um Guia do Caminho que pretende ser um elemento de apoio ao peregrino e caminhante, dando-lhes orientação geográfica, informação sobre pontos de interesse e de apoio, e na interpretação do património religioso e cultural ao longo da rede definida, sendo ainda um elemento de promoção do Caminho de São Bento e para o território do Cávado.

Os Caminhos de peregrinação para São Bento da Porta Aberta têm origem em todo o Minho, com motivação predominantemente religiosa, mas por vezes também lúdica. Os peregrinos e caminhantes que os percorrerem são invariavelmente agraciados com um riquíssimo património cultural e com uma paisagem natural única que culmina no Santuário de São Bento da Porta Aberta, localizado no concelho de Terras de Bouro, em pleno Parque Nacional da Peneda Gerês. Local de culto com uma forte importância religiosa e turística, recebendo, por ano, mais de 600 mil turistas e peregrinos de várias origens.

CIM do Cávado responde a desafio da Diocese de Braga

Esta sinalética está a ser colocada um pouco por todo o distrito correspondendo a um desafio lançado um desafio lançado pelo Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, e pela Irmandade de São Bento da Porta Aberta, no sentido de fomentar e promover “o caminhar em segurança” nos caminhos de São Bento da Porta Aberta.

A CIM Cávado assumiu a resposta a esse desafio e tem vindo desde há um mês a colocar a referida sinalética um pouco por todo o território dos concelhos de Amares, Barcelos, Braga, Esposende, Terras de Bouro e Vila Verde.

Atendendo aos vários caminhos de São Bento existentes na região do Cávado, foi definida uma rede de Caminhos, constituída por um caminho principal e estrutural que une o território do Cávado, com origem em Esposende até São Bento da Porta Aberta, com cerca de 70 km de extensão, e 3 trajetos variantes, unindo assim os 6 concelhos da região, num conjunto de aproximadamente 120 km de caminhos identificados.

Brevemente será ainda disponibilizado um Guia do Caminho que pretende ser um elemento de apoio ao peregrino e caminhante, dando-lhes orientação geográfica, informação sobre pontos de interesse e de apoio, e na interpretação do património religioso e cultural ao longo da rede definida, sendo ainda um elemento de promoção do Caminho de São Bento e para o território do Cávado.

O Guia juntamente com a sinalização implantada no terreno permitirão reforçar a segurança do peregrino e do caminhante, promovendo assim a qualidade da caminhada e também a valorização destes caminhos e do território.

 

Fontes: Município de Braga, CIM do Cávado; Imagens: Município de Braga

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.