Participam no evento quase nove centenas de artistas de todo o mundo

ITV | Bienal Contextile (re)acontece em Guimarães Território Têxtil

ITV | Bienal Contextile (re)acontece em Guimarães Território Têxtil

 

 

 

Maio foi o mês de reajustes na programação de forma a manter as ações planeadas para a Contextile 2020 – Bienal de Arte Têxtil Contemporânea e a (re)confirmação da sua realização, nas datas inicialmente previstas, e de acordo com as devidas medidas de segurança sanitária no contexto da pandemia da Covid-19.

A bienal acaba por acontecer graças aos artistas e aos parceiros da Contextile, cuja perseverança, resiliência e atitude positiva permitiu o ajustamento às mudanças necessárias, dada a conjuntura. Está previsto que na edição 2020 participem 870 artistas, oriundos de 65 países, que propuseram cerca de 1.150 trabalhos artísticos para o concurso da Exposição Internacional, o que dificultará a tarefa do júri, devido à quantidade e qualidade geral das obras submetidas.

O programa final da Contextile 2020, assente na ideia “Lugares de Memória – Interdiscursos de um território têxtil”, está agora pronto, pese embora possam acontecer eventuais últimos acertos que possam advir das contingências perante o quadro de evolução da pandemia. Assim, entre 5 de setembro e 25 de outubro, Guimarães será novamente a cidade que acolhe o que de melhor se faz no mundo na Arte Têxtil Contemporânea.

EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL

A Exposição Internacional (Competitiva) contará com 58 obras de 50 artistas oriundos de 29 países selecionados pelo júri internacional composto por Lala de Dios (prof.ª História de Arte e do Têxtil, curadora), Janis Jefferies (prof.ª emérita de artes visuais, curadora), Rosa Godinho (artista plástica e têxtil), Jorge Costa (curador e diretor artístico), Cláudia Melo, direção artística da Contextile 2020.

ARTISTAS CONVIDADOS

A bienal convidou os artistas Magda Soboń (Polónia) e Stephen Schofield (Quebec, Canadá), com expressão artística relevante na área do têxtil, a exporem em diferentes locais da cidade, tendo a temática “Lugares de Memória” como referência.

RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS

Dando continuidade à estratégia de cooperação e aproximação entre artistas nacionais e internacionais, a Indústria Têxtil e a arte têxtil contemporânea, a Contextile convocou 8 artistas para a realização de residências artísticas, desafiando para a concepção de projectos e produção de obras artísticas em site specific: Angelina Nogueira, Paulina Almeida, Patrícia Geraldes, (Portugal); Magdalena Kleszyńska (Polónia); Mylene Boisvert e Michèle Lorrain (Quebec, em parceria com a BILP); Julia Gryboś e Barbora Zentková (República Checa, em parceria com a plataforma Magic Carpets)

”EMERGÊNCIAS”: Educação e Criação Têxtil

A Contextile, na continuidade das edições anteriores, convidou escolas artísticas com disciplinas de técnicas têxteis, desafiando os alunos (e as escolas) para a criação e produção de trabalhos de arte têxtil, que serão apresentados em forma de exposição e instalação. Escola Artística Soares dos Reis, Escola Artística António Arroio, FBAUP, FBAUL, ESE-IPP, ESAUM.

INTERVENÇÕES no ESPAÇO PÚBLICO: REWIND & PLAY | MOSTRA DE CINEMA AR LIVRE

4 Sessões em 4 Lugares | Esta mostra de cinema ao ar livre com curadoria de Luísa Alvão, guionista e cinéfila, apresenta um conjunto de filmes que estimulam uma reflexão a partir de um diálogo entre o território têxtil do Vale do Ave, com universos industriais têxteis de outras partes do mundo.

“Sleeping places – a love story”_Despertar os Lugares | PERFORMANCE

Performance colaborativa criada pelos lituanos Psilicone Theater (Aukse Petruliene e Darius Petrulius), resultante de um trabalho de recolha de testemunhos da comunidade do têxtil no território de Guimarães, e de partilha de informação e conteúdos sobre a indústria têxtil pela investigadora Paula R. Nogueira. Quatro músicos vimaranenses participam neste projecto e performance, que conta ainda com a colaboração da Capivara Azul.

Encontro Expansão | INSTALAÇÃO MULTIMÉDIA TANQUES DE COUROS

Encontro Expansão é um projeto de intervenção multimédia proposto para os Tanques de Couros, na Fraterna, com a direção artística de Joana Fins Faria e Romas Stukenberg, para integrar a temática Lugares de Memória propondo a criação de uma escultura colaborativa resultante da soma de pequenas esculturas em cocriação com a comunidade e instituições locais.

TextileTALKS

Parte fundamental da ação da Bienal, para o enquadramento do têxtil no contexto da arte contemporânea, centra-se na conversa formal e informal, reflexão e debate de projetos e ideias partilhadas. De forma livre, projectos e obras artísticas, apresentam-se e discutem-se, nestas Textile Talks. Será combinado a conversa presencial, e virtual, com os artistas impedidos de estarem.

SERVIÇO EDUCATIVO: WORKSHOP “Memory of Paper” | Pela artista polaca Magda Soboń

Com base num programa autoral, o workshop fornecerá aos participantes o conhecimento básico sobre fabricação manual de papel. Os participantes terão a oportunidade de conhecer e experimentar os processos de fabricação de celulose a partir de papel reciclado, tecidos de algodão e fibras vegetais.

Visitas Orientadas

Estão previstos um conjunto de visitas orientadas e guiadas físicas e virtuais (de acordo com as normas da DGS), com artistas e curadores, em torno das exposições, destinadas a artistas, escolas e ao público em geral.

Fonte e Imagens: Contextile

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Categories: Agenda, Arte

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.