José Maria Cardoso: Este suplemento consubstancia a mais elementar justiça

Trabalho | Bloco propõe suplemento de risco, penosidade ou insalubridade nas autarquias locais

Trabalho | Bloco propõe suplemento de risco, penosidade ou insalubridade nas autarquias locais

Pub

 

 

José Maria Cardoso, o deputado do Bloco de Esquerda eleito pelo círculo eleitoral de Braga, esteve reunido com a direção regional do STAL – Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local e Regional, Empresas Públicas, Concessionárias e Afins, para analisar a situação laboral dos funcionários das autarquias locais.

No encontro realizado esta sexta-feira, José Maria Cardoso apresentou o Projeto de Lei que propõe a aplicação do suplemento de risco, penosidade ou insalubridade. A iniciativa surge na sequência de uma Petição lançada pelo STAL com o mesmo intuito e que será discutida no parlamento, na próxima semana, a 5 de junho.

No documento entregue na Assembleia da República, o Bloco de Esquerda afirma que “este suplemento consubstancia uma forma de compensar os trabalhadores por condições de trabalho geradores de insalubridade, penosidade e risco e é não só de elementar justiça, como proceder à sua regulamentação é uma imposição legal que carece de ser respeitada”.

Partido propões gratificação adicional em situações de esforço acrescido

Em cima da mesa também esteve a proposta do STAL, que o Bloco acompanha, para a gratificação dos funcionários das autarquias locais que, neste período de crise pandémica, asseguraram a continuidade de vários serviços essenciais, como a recolha de lixo, e que tiveram um esforço acrescido em condições de trabalho muito difíceis.

Bloco contra autarquias que penalizaram rendimento de funcionários em teletrabalho

O deputado bloquista inteirou-se também da situação de alguns funcionários de autarquias que não receberam o subsídio de alimentação. José Maria Cardoso considerou inaceitável a postura das câmaras de Braga, Vila Nova de Famalicão e Vila Verde, que não pagaram uma parte do salário a estes trabalhadores, muitos deles já com salários muito baixos, e espera que a situação seja regularizada rapidamente.

 

Fonte e Imagem: BE

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Pub

Categorias: Política

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.