‘Do Prado ao Prato’ promove uma transição para um sistema alimentar saudável, seguro e sustentável

Agricultura | Isabel Estrada Carvalhais considera que estratégia para o setor agrícola e agro-alimentar exige relevância e meios reforçados

Agricultura | Isabel Estrada Carvalhais considera que estratégia para o setor agrícola e agro-alimentar exige relevância e meios reforçados

Pub

 

 

A Comissão Europeia apresenta a 27 de maio a revisão de propostas para o Quadro Financeiro Plurianual. Numa troca de impressões com o novo Director Geral da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Isabel Estrada Carvalhais, a eurodeputada do Partido Socialista, reforçou a expectativa num reforço da PAC para encarar os momentos desafiantes que vivem os agricultores europeus.

Isabel Carvalhais salientou a importância para a agricultura europeia de que “o Departamento da Comissão Europeia responsável pela agricultura e desenvolvimento rural seja um departamento com uma voz forte, que apoie o setor agrícola europeu na função que cumpre de fornecimento de alimentos acessíveis e seguros aos nossos cidadãos, apoiando simultaneamente os agricultores no seu caminho em direção a sistemas de produção mais sustentáveis”.

As declarações da eurodeputada realizaram-se no âmbito da primeira troca de impressões na Comissão de Agricultura e Desenvolvimento Rural do Parlamento Europeu com o novo Director Geral da Agricultura e Desenvolvimento Rural da Comissão Europeia, Wolfgang Burtsher (nomeado em abril passado). Com o sector agrícola a enfrentar momentos desafiantes, o impacto adverso da pandemia de Covid-19 na agricultura e no sistema agro-alimentar da União Europeia foi tema central da discussão, assim como a estratégia “Do prado ao prato”, recentemente adoptada pela Comissão Europeia.

A estratégia “Do Prado ao Prato” apresenta como objectivo a promoção de uma transição para um sistema alimentar sustentável que proteja a segurança alimentar e garanta o acesso de todos os europeus a dietas saudáveis, provenientes de uma agricultura ambientalmente sustentável. Algumas das propostas passam por “reduzir em 50 % a utilização de pesticidas químicos, reduzir as perdas de nutrientes em, pelo menos, 50 %, garantindo que não ocorre deterioração da fertilidade dos solos, o que reduzirá a utilização de fertilizantes em, pelo menos, 20 % até 2030. É esperado ainda reduzir em 50 % as vendas de agentes antimicrobianos para animais de criação e de aquicultura até 2030, e ainda promover a agricultura biológica a 25 % das terras agrícolas até 2030”.

Referindo-se a esta estratégia, Isabel Carvalhais destacou ser “bastante claro que ela depende fortemente dos recursos da PAC, pelo que esperamos que a Comissão apresente uma proposta para o Quadro Financeiro Plurianual (QFP) que dê à PAC a relevância correta e os meios adequados”.

A Comissão Europeia irá apresentar esta quarta-feira, dia 27 de maio a revisão das propostas para o QFP e a proposta para o “Plano de Recuperação para a Europa”. A Presidente da Comissão Ursula von der Leyen irá estar no Parlamento Europeu durante uma sessão plenária extraordinária na tarde de 27 para apresentar as propostas aos eurodeputados.

 

Fonte e Imagem: IEC

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Pub

Categorias: Política, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.