Não esquecer: limpeza e manutenção das faixas de gestão de combustível obrigatória até final de maio

Floresta | Guimarães limpa mais de 100 hectares nas faixas de gestão de combustível

Floresta | Guimarães limpa mais de 100 hectares nas faixas de gestão de combustível

Pub

 

 

Plano Municipal de Defesa da Floresta: até 31 de maio, os proprietários de terrenos em espaços rurais devem proceder à limpeza e manutenção das faixas de gestão. Coimas variam entre os 280 e 120 mil euros.

O prazo legal para que os proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que, a qualquer título, detenham terrenos confinantes a edifícios inseridos em espaços rurais, procedam à limpeza e manutenção das faixas de gestão de combustível, termina a 31 de maio. O não cumprimento das ações nos prazos afixados constituem contraordenações puníveis com coimas de 280 a 10 mil euros no caso de pessoas singulares e de 1600 a 120 mil euros, no caso de pessoas coletivas.

A limpeza e manutenção das faixas de gestão de combustível é obrigatória, tratando-se de um reforço das medidas de defesa da floresta contra incêndios, por forma a garantir a segurança e defesa de pessoas e bens.

O Município de Guimarães procede em média à limpeza de 250 hectares por ano, no total das faixas de gestão de combustível, e até à data já executou a limpeza de mais de uma centena hectares, com realce para o trabalho executado nas freguesias definidas como prioritárias: UF Briteiros S. Salvador e Stª Leocádia; Longos; Gonça; UF Oleiros, Figueiredo e Leitões.

Em 2020, para além dos trabalhos que o Município vimaranense está a cumprir de acordo com as determinações do Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios (PMDFCI), intensificaram-se ainda os trabalhos de limpeza em áreas não prioritárias, mas onde foi identificada necessidade de intervir, como a zona florestal envolvente à capela de N.ª Sr.ª da Saúde (Sande S. Clemente) e a zona florestal envolvente à N.ª Sr.ª dos Montes (Serzedelo – Nespereira – Selho S. Cristóvão), assim como a beneficiação de caminhos, manutenção de pontos de água e criação de um novo ponto de água em Rendufe.

 

Fonte: Município de Guimarães; Imagem: Agroportal

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais ou outros.

*

Pub

Categorias: Local, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.