Ricardo Simões: CDV está pronto para retomar a sua atividade

Teatro | Teatro do Noroeste nas ruas de Viana do Castelo?

Teatro | Teatro do Noroeste nas ruas de Viana do Castelo?

Pub

 

 

O Teatro do Noroeste – Centro Dramático de Viana (TN_CDV) poderá vir a realizar espectáculos nas ruas. Na edição desta Quinta-feira da rubrica online “Ensaio de Mesa”, o director artístico Ricardo Simões anunciou essa possibilidade para os meses de Junho e Julho.

Embora, nas palavras de Ricardo, o elenco residente “esteja pronto para retomar a actividade“, a companhia vianense “ainda aguarda a decisão da Câmara Municipal de Viana do Castelo”. A autarquia é proprietária do espaço onde o TN-CDV opera, o Teatro Municipal Sá de Miranda. Porém, nem o director artístico nem os seus colegas prevêem a sua reabertura nos próximos meses.

O também actor do Centro Dramático de Viana aponta ainda para “a falta de legislação aprovada sobre a reabertura dos teatros”. Contudo, Ricardo conhece as necessidades de prevenção contra a Covid-19. O director artístico prevê a necessidade de “vedar as ruas e criar recintos ao ar livre com corredores de entrada e saída de espectadores”, além “das normas de distanciamento”.

A rubrica “Ensaio de Mesa” integra a iniciativa “Teatro do Noroeste em sua casa”. O nome parte d’ “o primeiro momento das peças de teatro”, no qual o encenador e o elenco “se reúnem para ler e debater ideias sobre o espectáculo”. Nesse sentido, são reunidos numa mesa virtual directores artísticos de diversos teatros. O objectivo é reflectir sobre “as inquietações” que o estado de pandemia tem causado na área da cultura.

 

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais ou outros.

*

Pub

Categorias: Agenda, Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Pedro Maia Martins

Esposendense de nascimento, barcelense de criação e conimbricense por hábito. Licenciado em Jornalismo e Comunicação pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Colaborou no passado com o Jornal Universitário de Coimbra - a Cabra e com a Revista Via Latina - Ad Libitum. Foi o último editor de País e Mundo do referido jornal. Colabora neste no momento com a Vila Nova Online e a Revista Bica.

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.