Obra integra coleção ‘Estudos Camilianos’ da Casa de Camilo

Livros | João Paulo Braga e Sérgio Guimarães de Sousa lançam ‘Crime e Castigo em Camilo Castelo Branco’

Livros | João Paulo Braga e Sérgio Guimarães de Sousa lançam ‘Crime e Castigo em Camilo Castelo Branco’

Pub

 

 

Crime e Castigo em Camilo Castelo Branco‘ é o tema do volume 13 da coleção «Estudos Camilianos» que o Município de Vila Nova de Famalicão acaba de lançar através da Casa de Camilo – Centro de Estudos Camilianos.

Com organização de Sérgio Guimarães de Sousa e João Paulo Braga, a publicação foi apresentada nesta segunda-feira, 18 de maio, no âmbito das comemorações do Dia Internacional dos Museus, em conferência realizada on-line.  Refira-se que os autores, especialistas na obra de Camilo, têm vindo a realizar, no Centro de Estudos Camilianos as ‘Noites de Insónia‘, encontros em torno da obra de Camilo nos quais se realizam leituras comentadas da sua obra.

João Paulo Braga é professor de Português no Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco de Vila Nova de Famalicão. É colaborador do Centro de Estudos Camilianos, onde tem trabalhado na organização de colóquios e de edições de temática camiliana. É investigador do Centro de Estudos Filosóficos e Humanísticos da Universidade Católica, no tópico Interações simbólicas: memória e mudança,  e colaborador externo do Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho, no grupo de investigação em Identidade(s) e Intermedialidade(s). A sua atividade científica tem incidido nos estudos camilianos,  na literatura portuguesa do séc. XIX, e nas relações entre as literaturas clássicas e a literatura portuguesa. Publica regularmente sobre a obra de Camilo no Diário do Minho.

Sérgio Guimarães de Sousa é professor no Instituto de Letras e Ciências Humanas da Universidade do Minho. A sua área de referência é a Literatura Portuguesa dos séculos XIX (Garrett, Eça e, muito especialmente, Camilo Castelo Branco), XX (Manuel de Boaventura, Tomaz de Figueiredo) e XXI (António Lobo Antunes, entre outros) bem como os estudos sobre cinema. De há alguns anos, dedica-se igualmente ao estudo de autores lusófonos (Ruy Duarte de Carvalho, por exemplo).

“Os estudos aqui reunidos, demonstram a complexidade, a profundidade e a riqueza da problemática do bem e do mal, do crime e do castigo no autor de Anátema”, refere na nota introdutória o diretor da coleção e da Casa de Camilo, José Manuel de Oliveira.

“Vasta é a galeria de criminosos e degenerados em Camilo, inúmeros são as personagens brutais e desonestas, com tendências criminosas e instintos predadores. E as motivações do crime não se esgotam em questões sentimentais”, acrescenta.

O trabalho envolveu uma equipa de especialistas na obra do Camilo. Assinale-se, também, na participação deste trabalho o nome de outros colaboradores: Henrique Marques Samyn (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), Luciana Namorato (Indiana University, Estados Unidos), Maria João Dodman (York University, Toronto, Canadá) e Patrícia Silva Cardoso (Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Brasil).

A publicação encontra-se à venda ao público no Centro de Estudos Camilianos, em S. Miguel de Seide, e na Casa do Território, em Vila Nova de Famalicão, podendo ser requerida via digital através da loja on-line da Casa- Museu.

 

Fonte e Imagem: Município de Famalicão, CEFH, UMinho, Imagem: Município de Famalicão

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.