Liliana Barros e Marlene Silva

Animalia | Feliz Dia da Mãe!… Para quem!?

Animalia | Feliz Dia da Mãe!… Para quem!?

Pub

 

 

Mãe é mãe, quer seja humana ou não. Mãe é todo o animal fêmea que tem filhos, todo o ser que dá à luz..

A luta pelos Direitos dos Animais é uma luta na qual se insere o Direito à Maternidade, o direito a estar com os seus filhos, o direito a ser mãe.

Quantas são as mães que, a todo o momento, choram por verem os seus filhos a serem levados para longe para que não bebam o seu leite?  Se o leite materno é destinados aos filhos, porque é que estas mães têm o seu leite tirado para que humanos o possam consumir? Se nós bebemos o leite, o que sobra para os bebés? O que é que lhes acontece?

Todos os dias, o nosso prazer ao beber leite e consumir laticínios, traduz-se em dor e sofrimento para aquelas mães e filhos. Não é correto isto acontecer.

As vacas não dão leite por serem vacas leiteiras. O leite não surge por acaso. Assim como todos os mamíferos, as mães produzem leite na altura da gestação para que possam alimentar os seus filhos. O leite surge porque alguém é mãe.

Sabiam que o tempo de gestação de uma vaca é igual ao tempo de gestação de um humano? E que os bebés na indústria do leite são retirados das suas mães até 48 horas após nascerem e colocados num sítio à parte? Sabem de onde vem a vitela que têm no prato? Daqui. Desta indústria. Destes bebés.

Porque é que é tão difícil comparar o nosso sofrimento ao sofrimento de um animal não humano? Porque é que não nos conseguimos colocar no lugar destes seres, tão parecidos connosco na maneira de sentir?

As vacas, assim como a grande maioria dos animais, também fazem luto pelos seus filhos. Durante dias procuram-nos desesperadamente, chamam por eles até serem incapazes de reproduzir um único som e choram por dias a fio. Afinal, no que toca à sensiência (capacidade de sentir), qual é a diferença entre uma mãe humana e não humana?

Ser mãe é uma dádiva da Natureza.

Neste dia especial, o Braga Animal Save, apela ao despertar das mentalidades, ao respeito por TODAS as mães.

Ser compassivo não ocupa lugar em nós, e o sofrimento não devia ser praticado em qualquer parte do planeta.

O vínculo mais poderoso que conhecemos é o vínculo entre mãe e filho, e rompemo-lo para criar ” comidas confortáveis” para nós mesmos” – Michael Schwarz

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais ou outros.

*

Pub

Categorias: Crónica, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Liliana Barros

Co-organizadora do Braga Animal Save e Porto Animal Save

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.