Isabel Allende, Rosa Montero, José Luís Peixoto entre os participantes na edição 2020 (online) do festival literário

Literatura | Viajar com o LeV numa ‘volta ao mundo em 80 viagens’

Literatura | Viajar com o LeV numa ‘volta ao mundo em 80 viagens’

Pub

 

 

Mais importante que o destino é a viagem‘ serve de mote à edição 2020 do festival literário de Matosinhos. O LeV — Literatura em Viagem está de regresso, desta feita em versão online, mas mantendo intacta a sua natureza. De 13 a 17 de maio, por força da necessidade de isolamento social, o festival literário de Matosinhos vai adotar o modelo já experimentado no Plano Municipal de Leitura da autarquia com sessões online nas páginas de Facebook da Biblioteca Municipal Florbela Espanca e da Câmara Municipal de Matosinhos.

Na sua 14.ª edição, o LeV — Literatura em Viagem vai fazer uma “Volta ao mundo em 80 viagens”, reunindo um conjunto de autores de três continentes. Neste tempo de confinamento, o desafio passa por colocar “os autores a falar dos livros que os fazem ou fizeram viajar, bem como [d]as viagens que mais os marcaram nas suas carreiras”, destaca a organização.

Isabel Allende é a cabeça de cartaz do evento. Nascida em 1942 no Peru, viveu no Chile entre 1945 e 1975, com largos períodos de residência noutros locais, na Venezuela até 1988 e, desde então, na Califórnia. Em 1982, o seu primeiro romance, “A Casa dos Espíritos“, converteu-se num dos títulos míticos da literatura latino-americana. Seguiram-se muitos outros, todos êxitos internacionais. A sua obra está traduzida em trinta e cinco línguas. Foi galardoada com o Prémio Nacional de Literatura do Chile. Foi homenageada pelo Presidente dos Estados Unidos da América, Barack Obama, com a Medalha Presidencial da Liberdade, a mais importante distinção civil daquele país. A sua obra está publicada em Portugal, pela Porto Editora.

À escritora chilena, juntam-se ainda nomes como Alexandre Quintanilha, Ana Luísa Amaral, David Machado, Gonçalo M. Tavares, Joana Amaral Dias, Matilde Campilho, Pedro Abrunhosa, Gonçalo M Tavares e José Luís Peixoto (Portugal);

José Luís Peixoto nasceu em 1974 em Galveias, concelho de Ponte de Sor. É um dos autores de maior destaque da literatura portuguesa contemporânea. A sua obra abrange vários géneros, da narrativa ao teatro, do romance à poesia, e foi distinguida com diversos prémios literários tais como o Prémio José Saramago, o Prémio Libro d’Europa e o Prémio Oceanos. Os seus livros estão traduzidos e publicados em 30 idiomas, entre os quais “Nenhum Olhar” e “Livro“.

Nos próximos dias serão anunciados mais autores estrangeiros, fazendo desta edição do LeV uma das mais internacionais de sempre. No entanto, estão já confirmados  Abad Faciolince (Colômbia), José Eduardo Agualusa e Ondjaki (Angola) e Rosa Montero (Espanha) na edição 2020 do LeV.

Rosa Montero nasceu em Madrid em 1951. Como jornalista, colabora em exclusivo com o jornal El País, tendo obtido, em 1980, o Prémio Nacional de Jornalismo e, em 2005, o Prémio da Associação da Imprensa de Madrid. Com “A Louca da Casa” recebeu o Prémio Grinzane Cavour de literatura estrangeira e o Prémio Qué Leer para o melhor livro espanhol, distinção que também foi atribuída, em 2006, a “História do Rei Transparente”. “A Ridícula Ideia de Não Voltar a Ver-te” viria a ganhar o Prémio da Crítica de Madrid 2014. Recebeu, já em 2017, e pelo conjunto da sua obra, o Prémio Nacional das Letras Espanholas. O seu título mais recente, também editado pela Porto Editora no início de 2020, é “Os Tempos do Ódio“.

Entre os dias 13 de maio, quarta-feira, e 15 de maio, sexta-feira, a programação contará com quatro sessões diárias (às 17, 18, 19 e 22h00). Nos dias 16 e 17 de maio, sábado e domingo respetivamente, terão lugar cinco sessões (17, 18, 19, 21 e 22h00).

Tal como acontece com o PML Matosinhos há ainda a registar o facto desta iniciativa contar com o apoio de diversas páginas de divulgação do livro e da leitura, bem como de livrarias, que transmitirão as sessões, e que serão divulgadas em breve.

Fonte e Imagens: Município de Matosinhos

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais ou outros.

*

Pub

Categorias: Agenda, Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.