Ricardo Costa

Abril | Reinventar Abril cantando a Liberdade de olhos postos no futuro

Abril | Reinventar Abril cantando a Liberdade de olhos postos no futuro

Pub

 

 

Nunca como hoje compreendemos tão fundo, na nossa pele e na nossa mente, como nos une uma Humanidade comum, numa igual dignidade e sofrimento.

Se nos une a todos a mesma fragilidade, sabemos bem, apesar de tudo o que Abril nos legou, como ainda nos desunem diferentes condições de confinamento e de vida.

O nosso imediato desafio, neste momento, é o de mitigar as desigualdades que persistem na nossa relação com esta doença, que nos ameaça pessoalmente e à nossa vida comum.

Por isso é que o governo tem de atuar, como no essencial o tem feito, com a determinação que cada caso exige, protegendo os mais frágeis, biológica e economicamente, sem deixar ninguém para trás.

Num mundo que girava de forma frenética e num tempo sempre preenchido por momentos tão efémeros, de repente percebemos que o tempo não é feito só de horas, mas daquilo que somos capazes de fazer com elas, dando-lhes significado humano, em solidariedade com as nossas famílias e os que mais precisam.

Mas dá-nos esperança ver que os atuais desafios fizeram tantas pessoas e comunidades levantar-se em gestos solidários, com testemunhos de cuidado com o próximo. Em tantos casos, as circunstâncias que nos subtraíram os abraços dos mais próximos multiplicaram a solidariedade.

Para além disso, há uma linha da gente, feita de homens e mulheres especialmente corajosos, que nos deve orgulhar a todos, ainda que o sucesso deste desafio, desta ameaça vital, dependa, no fim, de todos e de cada um.

É conhecido o alcance que a Covid-19 tem tido no distrito de Braga. Perante as dificuldades causadas pela doença, os cidadãos, as empresas, os centros de conhecimento, as autarquias, o Serviço Nacional de Saúde, têm sido inexcedíveis na forma como têm atuado.

O momento atual é um tempo de incertezas. Mas a liberdade existe, o estado de emergência não suspendeu a democracia e, sobretudo, não suspendeu o nosso apego à participação livre num Portugal mais justo.

O 25 de Abril é este ano um 25 de Abril diferente, Contudo, merece ser celebrado por quanto para Portugal. Saibamos reinventar Abril na forma de cantar a Liberdade do presente, de olhos postos no futuro e nas novas gerações, pois a Democracia há de ser sempre um projeto em construção.

Nestas circunstâncias difíceis que justamente por isso, este é o tempo da política, não da pequena política mas da ação política enquanto decisão colectiva, pública e democrática. É com esta convicção que proponho celebrarmos a Liberdade hoje e amanhã.

 

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais ou outros.

*

Pub

Categorias: Crónica, Política, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Ricardo Costa

Economista. Vereador na Câmara Municipal de Guimarães.

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.