Gravação expressa ‘um mundo cada vez mais em rota de colisão com o inanimado’

Música | NU lançam vídeo de acompanhamento ao seu álbum ‘Diferentes Formas da Mesma Areia Morta’

Música | NU lançam vídeo de acompanhamento ao seu álbum ‘Diferentes Formas da Mesma Areia Morta’

Pub

 

 

Os NU lançaram um vídeo de acompanhamento ao seu álbumDiferentes Formas da Mesma Areia Morta” na passada Sexta-feira. O álbum já se encontra disponível no Spotify desde 2 de Abril, mas pode também ser ouvido via Youtube ou Bandcamp. A banda de Santo Tirso promete lançar uma edição em CD a breve trecho.

Diferentes Formas da Mesma Areia Morta” é composto por três faixas:  Dento de um Sono que É Quase Morte, A Mesma Areia Morta e Diferentes Formas da Mesma Areia Morta. De acordo com uma publicação nas redes sociais, o álbum resulta de um trabalho conceptual que “expressa a perda de humanidade, a alienação tecnológica, o medo, a psicose e a competição feroz e generalizada que impulsionam o clima de decadência que paira sobre a civilização ocidental. Ou, nas palavras de Thomas Pynchon, “um mundo cada vez mais em rota de colisão com o inanimado”.

Descritos como “uma banda experimental” que mistura o chaos rock e a spoken word, os NU surgiram, em 2016, em Santo Tirso. O primeiro EP, “Sala de Operações nº 338“, foi lançado no mesmo ano. “II“, o segundo EP, chegaria dois anos depois.

Os NU são André Soares (baixo), Carlos Adolfo (guitarra, saxofone e percussão), Miguel Filipe Silva (guitarra), Ricardo Coelho (bateria), Rui Pedro Almeida (voz) e Urbano Ferreira (teclados, efeitos especiais e percussão).

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais ou outros.

*

Pub

Categorias: Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Pedro Maia Martins

Esposendense de nascimento, barcelense de criação e conimbricense por hábito. Licenciado em Jornalismo e Comunicação pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Colaborou no passado com o Jornal Universitário de Coimbra - a Cabra e com a Revista Via Latina - Ad Libitum. Foi o último editor de País e Mundo do referido jornal. Colabora neste no momento com a Vila Nova Online e a Revista Bica.

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.